Pútin sugere que novos cidadãos russos façam juramento

Primeiro pacote de projetos de lei para alteração de concessão de cidadania já foi passado pela Duma.

Primeiro pacote de projetos de lei para alteração de concessão de cidadania já foi passado pela Duma.

ITAR-TASS
Presidente também propõe retirada de cidadania de acusados de terrorismo. Endurecimento de regras, que já eram mais rígidas que de outros países, começou ainda no ano passado.

O presidente russo Vladímir Pútin sugeriu, durante encontro com o porta-voz da Duma de Estado (Câmara dos Deputados na Rússia), Viatchesláv Volódin, nesta terça-feira (6), que novos cidadãos russos façam um juramento ao receberem suas cidadanias , de acordo com a agência Tass.

“Poderíamos pensar em usar a experiência de outros países onde existem juramentos e outras cerimônias solenes, em que a pessoa confirme sua intenção de se tornar cidadã de nosso país, observar as leis, as tradições, respeitar essas tradições”, disse Pútin.

O líder russo pediu ao chefe da câmara baixa do Parlamento e seus deputados que pensem em uma maneira de incluir essa norma na legislação.

Em dezembro de 2016, Pútin propôs que fossem bloqueados processos de aquisição de cidadania russa, com uma tolerância especial em casos de pessoas públicas ligadas à cultura e às artes.

Além disso, em 19 de maio, a Duma de Estado passou em primeira leitura um pacote de projetos de lei que pode alterar a decisão de concessão de cidadania russa se o indivíduo for acusado em atos terroristas.

De acordo com a agência Ria-Nôvosti, o presidente apoia a ideia de retirar a cidadania de pessoas julgadas por terrorismo e sugeriu que essa emenda seja feita após consulta com o Tribunal Constitucional.

“É preciso consultar o Tribunal Constitucional, claro. Mas eu, em geral, compartilho dessa posição”, disse o presidente.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.