Ucrânia bloqueia declaração da ONU sobre morte de embaixador russo

Tchúrkin era embaixador da Rússia na ONU desde abril de 2016

Tchúrkin era embaixador da Rússia na ONU desde abril de 2016

Getty Images
Kiev vetou declaração do Conselho de Segurança das Nações Unidas dedicada à embaixador russo Vitáli Tchúrkin, que morreu nesta segunda-feira (27).

O porta-voz do Kremlin, Dmítri Peskov, se recusou a comentar a decisão da Ucrânia de bloquear a declaração do Conselho de Segurança da ONU que diz respeito à morte do embaixador russo na ONU, Vitáli Tchúrkin.

“Quando acabamos de sofrer uma perda assim, esse comportamento por parte dos nossos colegas ucranianos... Que Deus os julgue”, disse Peskov aos repórteres quando questionado sobre a medida avançada por Kiev.

“Parece que não há mais nada a dizer”, acrescentou o porta-voz. “Depois de a diplomacia russa ter sofrido tal perda, não é tão importante.”

Mais cedo, a porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo, Maria Zakhárova, anunciou no Facebook que a delegação ucraniana havia bloqueado a declaração do Conselho de Segurança das Nações Unidas dedicada à Tchúrkin.

“Essa é a essência das autoridades ucranianas atuais: eles não podem fazer nada de bom, eles só estragam tudo, mesmo para eles próprios”, escreveu Zakhárova.

Vitáli Tchúrkin morreu na segunda-feira (20), um dia antes de seu 65º aniversário. Ele era embaixador da Rússia na ONU desde abril de 2006, representando o país no Conselho de Segurança das Nações Unidas.

Segundo o presidente russo Vladímir Pútin, Tchúrkin era “um dos diplomatas mais proeminentes, que brilhantemente lidou com suas tarefas e nunca sofreu derrotas”. A mensagem de Pútin dirigida à viúva do diplomata, Irina Tchúrkina e seus filhos, Anastassia e Maksim, foi publicada no site do Kremlin nesta terça (21).

“Por favor, aceitem as mais profundas condolências pela morte de seu marido e de seu pai, sua morte prematura é a perda mais grave e verdadeiramente irrecuperável da política externa da Rússia”, lê-se na mensagem do presidente.

Gostaria de receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail?  
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.