Pútin e Obama têm conversa pelo "telefone vermelho"

Segundo Peskov, todas as conversas entre os presidentes dos dois países são realizadas por meio dessa linha.

Segundo Peskov, todas as conversas entre os presidentes dos dois países são realizadas por meio dessa linha.

AP
Presidentes falam sobre hackers russos, mas uso de aparelho é convencional, segundo porta-voz do Kremlin.

O porta-voz do presidente russo, Dmítri Peskov, comentou a conversa entre Vladímir Pútin e seu homólogo norte-americano, Barack Obama, no "telefone vermelho" nesta quarta-feira (21).

Ao rebater as notícias de que Obama teria utilizado a linha vermelha para discutir com o presidente russo o problema de ataques de hackers, Peskov disse que "essa é uma linha fechada comum que os chefes de Estado usam para conversas telefônicas".

Segundo Peskov, todas as conversas entre os presidentes desses dois países são realizadas por meio dessa linha.

O porta-voz de Pútin afirmou que durante diversas conversas com Obama relembraram-se várias vezes os ataques cibernéticos que teriam sido efetuados por hackers russos.

"Mas, infelizmente, nunca conseguimos uma fundamentação mais ou menos convincente dessas acusações, quaisquer fatos concretos ou  qualquer coisa que seja. Por isso, todas essas acusações são, claro, absolutamente gratuitas e não reforçadas por alguma argumentação", disse Peskov.

O Kremlin também considera que as relações Rússia-EUA estão em situação ruim, que será seguida por um "grau extremo de falta de confiança".

"Um grau extremo de falta de confiança, infelizmente, será seguido agora por nossas relações bilaterais, que se encontram em situação aflitiva, e o presidente Pútin pede seguidamente que nossas relações saiam dessa situação", disse Peskov.

ComaagênciaTass.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.