Reuniões na ONU apontam América Latina como prioridade russa

Lavrov (esq.) se reuniu com homólogos de sete países da América Latina

Lavrov (esq.) se reuniu com homólogos de sete países da América Latina

Flickr/MFA Russia
Chanceler russo Serguêi Lavrov reuniu-se com diversos homólogos da região, incluindo José Serra, durante a 71ª sessão da Assembleia Geral da ONU. Negociações resultaram em roteiros para avanços em diferentes frentes bilaterais.

Durante a 71ª sessão da Assembleia Geral da ONU, que se encerra nesta segunda-feira (26) em Nova York, o ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguêi Lavrov, reuniu-se com homólogos de sete países da América Latina.

Além disso, em reunião com chanceleres de três países da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac) – República Dominicana, Equador e Dominica – foi discutido um roteiro para cooperação multilateral no âmbito do recém-criado mecanismo para o diálogo político e econômico Rússia-Celac.

A nova parceria, baseada nos princípios de igualdade, cooperação multilateral e boa vontade, tem por missão intensificar e diversificar a interação entre as partes.

“A Rússia vê na Celac o desejo dos países da região de obter sua própria identidade e independência em termos de política externa”, disse à Gazeta Russa o diretor do departamento sobre América Latina na chancelaria russa, Aleksandr Schetinin.

Segundo o diplomata, os representantes do grupo anunciarão esta semana o país que presidirá a organização em 2018. A próxima reunião Rússia-Celac, que acontecerá em novembro em Moscou, terá participação de quatro países latino-americanos.

Lavrov parabeniza a Colômbia

Entre as reuniões bilaterais, destacou-se o encontro da delegação russa com a ministra das Relações Exteriores da Colômbia, Maria Angela Holguin, realizada na véspera da cerimônia de assinatura do acordo histórico entre o governo e as Farc, em Cartagena.

Lavrov ressaltou a importância do avanço alcançado em Havana para a regulação pacífica do conflito colombiano e confirmou a disponibilidade de Moscou em continuar prestando apoio a Bogotá no monitoramento do processo de paz e na cooperação em desenvolvimento, uma vez que o conflito estiver superado.

A cerimônia de assinatura do acordo com as Farc, que teve a presença do embaixador russo na Colômbia, Pável Sérguiev, demonstra que a experiência colombiana de resolução pacífica de conflitos merece atenção especial, avaliou Schetinin.

“Essa experiência pode ser usada para resolver outros conflitos internos que existem no mundo hoje, alguns deles em países vizinhos da Rússia. Este é o primeiro acordo no mundo baseado em um princípio de rejeição da impunidade, na importância do direito à justiça das vítimas de conflitos armados, na compensação por danos e na inclusão de insurgentes no processo constitucional”, destacou o diplomata.

Cuba, Peru e Costa Rica

Ainda durante o encontro, Lavrov e Holguin revisaram a situação e as perspectivas de cooperação nos âmbitos político, econômico, comercial, cultural e humanístico, entre outros, bem como avaliaram ampliar a base jurídica das relações.

As mesmas questões foram discutidas em reuniões realizadas entre Lavrov e o ministro das Relações Exteriores da Costa Rica, Manuel Gonzalez Sanz.

Com o ministro das Relações Exteriores de Cuba, Bruno Rodriguez, o chanceler russo reiterou a necessidade de “ajustar os ponteiros” em diferentes áreas da agenda bilateral e discutiu medidas para expandir a sua cooperação estratégica no futuro.

Também durante a reunião foi assinado o Plano de Desenvolvimento de Consultas Políticas entre as chancelarias de ambos os países para os anos de 2017 a 2019.

Lavrov encontrou-se ainda com seu homólogo peruano, Ricardo Luna Mendoza, para discutir o interesse mútuo em intensificar a cooperação estratégica e os preparativos para a próxima cúpula da Apec (Fórum de Cooperação Econômica Ásia-Pacífico), que será realizada em Lima em novembro.

A previsão é que o presidente russo Vladímir Pútin e o novo chefe de Estado do Peru, Pablo Kuczynski, se encontrem às margens do evento na capital peruana.

Brasil, Venezuela e Uruguai

Nas negociações de Lavrov com seus homólogos da Venezuela e do Uruguai, Delcy Rodríguez e Rodolfo Nin Novoa, respectivamente, deu-se atenção especial ao trabalho conjunto no âmbito do Conselho de Segurança da ONU.

As partes concordaram em adotar ações conjuntas para ampliar a cooperação e reforçar os laços econômicos, bem como prosseguir com os contatos políticos.

A Venezuela é um membro não permanente do Conselho de Segurança em 2015 e 2016, e o Uruguai detém o mesmo status em 2016 e 2017.

Além disso, durante a reunião ministerial do Brics, Lavrov encontrou-se também com o ministro das Relações Exteriores do Brasil, José Serra, para discutir o atual estado da economia global e as alternativas para recuperação de ambos os países.

Os ministros confirmaram a necessidade de acelerar o crescimento econômico global e o desenvolvimento sustentável, bem como coordenar questões de política macroeconômica e estimular o comércio e os investimentos entre Brasil e Rússia.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail?
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.