Líderes russos reagem ao atentado terrorista em Nice

Moscovitas deixam flores e velas em frente à Embaixada da França

Moscovitas deixam flores e velas em frente à Embaixada da França

Serguêi Savostianov/TASS
Pútin prestou condolências ao povo francês e ao presidente François Hollande.

Um caminhão atropelou uma multidão de pedestres que participavam dos festejos do Dia da Bastilha em Nice, no sul da França, matando ao menos 84 pessoas e ferindo outras 50, nesta quinta-feira (14).

Segundo as últimas atualizações, 18 dos 50 feridos estão em estado grave. O motorista do caminhão, que foi morto pela polícia em uma troca de tiros, era um homem de 31 anos de origem tunisiana.

De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia, uma menina russa foi morta e outra está internada em um hospital.

Nesta sexta-feira (15), o presidente russo, Vladímir Pútin,  fez um discurso com uma mensagem ao presidente da França, François Hollande, e ao povo francês. O vídeo foi publicado no site do Kremlin e foi transmitido pelos principais canais de televisão russos.

Fonte: YouTube/Kremlin

“Entendo que no momento o presidente da República Francesa, como todo líder de um país, não tem tempo para ligações telefônicas, por isso decidi enviar a mensagem publicamente. Caro François, a Rússia sabe o que é o terrorismo e as ameaças que ele representa para todos nós. Nosso povo enfrentou tragédias parecidas muitas vezes, está profundamente preocupado com o que aconteceu, expressa suas condolências ao povo francês e está em solidariedade com a França", declarou Pútin.

"A Rússia expressa solidariedade ao povo francês nesses dias difíceis, compartilha plenamente a dor da perda de um grande número de pessoas, incluindo crianças [...] e tem a intenção de continuar a fazer todo o possível para lutar contra o terrorismo", declarou o porta-voz do presidente russo, Dmítri Peskov.

O primeiro-ministro russo, Dmitri Medvedev, declarou que é preciso união para combater o terrorismo. "A Europa e a Ásia devem se unir na luta contra o terrorismo. Os terroristas e seus patrocinadores entendem só a força, então devemos usá-la”, declarou o premiê.

A porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Maria Zakhárova, classificou os acontecimentos da última noite de “filme de terror que se tornou realidade” e declarou que é preciso se unir com outros países antes dos atentados e não após.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.