Pútin reclama de dormir pouco devido à agenda ‘atribulada’

Pútin (esq.) e Lukachenko reunidos em Minsk, capital da Bielorrússia

Pútin (esq.) e Lukachenko reunidos em Minsk, capital da Bielorrússia

kremlin.ru
Confissão foi feita a presidente da Bielorrússia, com quem negocia acordo de gás.

Em visita oficial a Minsk, capital da Bielorrússia, o presidente russo Vladímir Pútin reclamou de dormir pouco devido a sua agenda atribulada. A declaração foi dada a seu homólogo bielorrusso Aleksandr Lukachenko, segundo reportagem do canal de TV russo Zvezda na quarta-feira (9).

“Está tudo bem”, disse Pútin ao responder aos cumprimentos de Lukachenko. “Mas eu não durmo bastante. Anteontem dormi por quatro horas, hoje, por cinco”, continuou.

“Isso é muito ruim”, teria respondido o bielorrusso, segundo os presentes.

Pútin chegou na quarta-feira a Minsk para negociar, dentre outras questões, o fornecimento de gás russo ao país.

O presidente russo não é o único líder internacional conhecido por relatar as poucas horas de sono. Sabia-se que a ex-primeira-ministra do Reino Unido Margaret Thatcher dormia apenas quatro horas por noite, e o atual presidente norte-americano Barack Obama descansa em torno de seis horas, segundo reportagem da revista “Vanity Fair” em 2012.

Publicado originalmente pelo jornal The Moscow Times

Gostaria de receber as principais notícias sobre a Rússia no seu e-mail?  
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.