Interpol pode colocar Khodorkóvski na lista de procurados internacionais

Exilado na Suíça, magnata do petróleo ficou preso de 2005 a 2013.

Exilado na Suíça, magnata do petróleo ficou preso de 2005 a 2013.

EPA
Organização recusou pedido anterior do governo russo por considerar julgamento de magnata russo por assassinato como perseguição política.

Uma decisão anterior da polícia internacional Interpol de recusar o pedido de listagem do ex-presidente da petrolífera Yukos, Mikhail Khodorkóvski, como procurado internacional poderá ser revisto, de acordo com fonte da Interfax que não quis ser identificada.

"A Interpol declarou que está pronta para rever sua posição na questão sobre colocar Khodorkóvski na lista de procurados internacionais, acusado de participação no assassinato do prefeito de Neftiugank, e, para tanto, pediu material adicional sobre o caso à parte russa", disse.

Segundo ela, um acordo foi alcançado como resultado das negociações de representantes do governo russo e da Interpol, cuja sede fica localizada na cidade francesa de Lion.

"A parte russa confirmou que enviará em breve à França os documentos requeridos", disse a fonte.

Com material da agência Interfax.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.