Holandeses votam contra a entrada da Ucrânia na UE

Ucraniana protesta contra o referendo, em frente ao Palácio Real de Amsterdã

Ucraniana protesta contra o referendo, em frente ao Palácio Real de Amsterdã

Reuters
Em referendo realizado na quarta-feira (6), 61,1% dos votantes se opuseram ao acordo. Europa teria receio de adesão devido aos índices de corrupção e criminalidade na Ucrânia.

O resultado de um referendo holandês sobre a ratificação do acordo de associação entre a UE e a Ucrânia confirmou os piores temores de Kiev, declarou o presidente do comitê para assuntos internacionais do Conselho da Federação (Senado russo), Konstantin Kosatchov.

A Holanda realizou na quarta-feira (6) um plebiscito para decidir se o país deveria dar sinal verde para o acordo de associação da UE com a Ucrânia. Segundo dados preliminares, 61,1% da população local se opôs ao acordo, e 38,1% disse estar a favor. O índice de pessoas que foram às urnas foi de 32,2% e superou o mínimo exigido (30%) para confirmar a validade do procedimento. Os resultados oficiais serão, porém, anunciados pelo Conselho Eleitoral da Holanda em 12 de abril.

“Os holandeses não conseguiram atender às melhores expectativas de Kiev, mas confirmaram as piores. Embora os resultados finais sejam declarados em 12 de abril, o veredito é incontestável. A Ucrânia ouviu um ‘não’ contundente”, escreveu Kosatchov, no Facebook.

O senador russo disse não estar certo de que o resultado da votação seja um mau sinal para a Ucrânia, mas sim “aos políticos de Kiev que colocaram tudo em jogo”.

“Possivelmente, a suspensão do acordo de associação será uma salvação para a Ucrânia, mas um fracasso para as autoridades ucranianas”, acrescentou Kosatchov.

Em resposta às acusações do presidente ucraniano, Petrô Porochenko, de que o referendo seria um ataque contra a unidade da Europa e dos valores europeus, o senador russo citou ainda o vice-presidente da comissão para assuntos internacionais do Senado holandês, Tiny Kox, que descreveu a Ucrânia como um dos países mais corruptos da Europa e expressou dúvidas sobre o acordo de associação com a UE.

“Parece que a Holanda respeita os valores europeus. Esta é a razão pela qual eles votaram contra”, concluiu Kosatchov.

Medo na Europa

De acordo com o presidente da comissão para assuntos internacionais da Duma de Estado (câmara baixa do Parlamento russo), Aleksêi Puchkov, os resultados do referendo mostram que os europeus têm receio da Ucrânia.

“Os resultados do referendo eram previsíveis e o medo da atual Ucrânia observado na Europa já se manifestou na Holanda”, disse Puchkov à agência de notícias Tass.

Segundo o legislador, Kiev não conseguiu criar a imagem de um país democrático em desenvolvimento e, pelo contrário, “a sua imagem é extremamente negativa”.

Para o primeiro vice-presidente do comitê de defesa e segurança do Senado russo, Frants Klintsevitch, os cidadãos holandeses votaram contra a associação da UE com a Ucrânia porque estão preocupados com sua segurança no caso de um país com altos níveis de corrupção e crime se unir ao bloco europeu.

“As pessoas que votaram contra não estavam pensando nos valores europeus. (...) Elas estavam preocupadas com uma coisa mais mundana – a sua própria segurança”, disse Klintsevitch a repórteres nesta quinta (7).

“A entrada da Ucrânia na UE significa novas fontes de migração descontrolada, corrupção, crime e outros problemas que as atuais autoridades na Ucrânia não serão capaz de superar nem mesmo em 20 anos”, continuou o deputado. “Os cidadãos europeus de fora da esfera política, com certeza, não precisam disso.”

Com material da agência de notícias Tass

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.