Munido de guitarra e maleta secreta, Kerry se reúne com Pútin

Segundo Kerry, maleta contém um segredo entre ele e o presidente russo, Vladímir Pútin.

Segundo Kerry, maleta contém um segredo entre ele e o presidente russo, Vladímir Pútin.

Reuters
Secretário de Estado dos EUA revelou condições para retirada de sanções contra a Rússia.

O secretário de Estado dos EUA, John Kerry, desembarcou em Moscou na última quinta-feira (24) com uma guitarra e uma maleta secreta que anunciou ser um "segredo com Pútin".

Conquanto o secretário não revelou o conteúdo da maleta, apesar da insistência dos jornalistas, ele disse que carrega a guitarra consigo pelo mundo inteiro. A mídia russa chegou a aventar que o instrumento fosse um presente de aniversário ao ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguêi Lavrov.

Sem gracejos

O chefe da diplomacia norte-americana também declarou que um levantamento das sanções contra a Rússia será possível quando armamentos e tropas forem retirados da Ucrânia, cumprindo-se os acordos de "Minsk-2".

"Repeto as promessas do presidente Obama de que as sanções serão levantadas se todos os pontos dos acordos de Minsk forem cumpridos, entre eles, a retirada de todo armamento e tropas e retorno da soberania da fronteira ucraniana", disse Kerry ao final do encontro.

"Sabemos que nos últimos anos houve divergências entre a Rússia e os EUA, mas discussões substanciais como essa que ocorreu hoje levam a melhores resultados. Momentâneo ou inevitável, esse é o caminho que escolhemos para resolver problemas importantes com os quais o mundo se debate", completou.

No início de março, Barack Obama prolongou as sanções impostas contra a Rússia em março de 2014 devido à crise ucraniana. O presidente norte-americano tem o poder de levantar as sanções a qualquer momento, de acordo com a embaixada do país.

Com informações das agências de notícias Ria Nôvosti e Tass.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.