Kremlin comenta apelo da UE à ONU de colocar sanções contra a Rússia

Peskov: "Crimeia é parte da Rússia, e país não irá discuti-la"

Peskov: "Crimeia é parte da Rússia, e país não irá discuti-la"

Alexey Filippov/RIA Novosti
"Crimeia não é objeto de acordos internacionais", diz porta-voz de Pútin.

Como resposta aos apelos da União Europeia para que a ONU coloque sanções contra a Rússia devido à crise ucraniana, o porta-voz da presidência, Dmítri Peskov, disse, nesta sexta-feira (18), que a Crimeia não é objeto de acordos internacionais.

"[A Crimeia] é uma região federativa da Federação da Rússia. A Rússia não discutiu e nunca discutirá suas regiões", ressaltou Peslov.

Ele acrescentou que a comunidade internacional deve "com respeito absoluto" dirigir-se à "vontade dos cidadãos da Crimeia" e à resolução que foi adotada com o referendo realizado na península em 2014, quando Crimeia e Sevastópol foram integradas à Rússia.

"Essa discussão não diz respeito a ninguém e, nesse caso, sem dúvida, não é uma questão que possa ser objeto de algum acordo ou contato internacional", disse.

O departamento de política internacional da União Europeia publicou pela manhã um documento em que fala em "anexação ilegal" da Crimeia e apela aos países da ONU para que se unam às sanções contra a Rússia.

"Dois anos após a anexação ilegal da República Autônoma da Crimeia e da cidade de Sevastópol pela Federação da Rússia, a União Europeia, como antes, é firmemente partidária da soberania e integridade territorial da Ucrânia", ressaltou o porta-voz do departamento. 

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.