Pútin esclarece declaração polêmica sobre Lênin

Prática nem sempre honrou ideais de socialistas utópicos, disse Pútin

Prática nem sempre honrou ideais de socialistas utópicos, disse Pútin

Kremlin.ru
Em reunião recente, presidente russo havia dito que líder soviético ‘plantou bomba atômica sob o edifício chamado Rússia’. Para explicar declaração, Pútin retomou construção do Estado soviético e alertou contra posições dualistas na história.

Em um discurso no fórum inter-regional da plataforma eleitoral Frente Popular da Rússia, o presidente Vladímir Pútin relembrou que os líderes soviéticos Vladímir Lênin e Iossef Stálin mantinham posições distintas sobre os pilares que deveriam sustentar a construção do Estado.

Segundo ele, uma vez que as ideias de Stálin foram rejeitadas, o país acabou sendo erguido sobre ideias que implicam a possibilidade de secessão dos territórios constituintes. “Esse direito [à separação] foi uma mina de ação retardada plantada sob nossa soberania. Isso foi o que causou o eventual rompimento do país”, disse o presidente.

A explicação foi dada após Pútin dizer, em uma reunião do Conselho Presidencial sobre educação, que Lênin plantara “uma bomba atômica sob o edifício chamado Rússia” e que “a bomba explodiu pouco depois”.

Ao retormar o assunto, o presidente também fez questão de ressaltar que havia sido membro do Partido Comunista e oficial do serviço de segurança soviética, a KGB, vista por alguns propagandistas como um posto avançado armado do próprio partido.

“Eu não posso dizer que era um defensor radical da ideologia comunista”, disse. “No entanto, a minha atitude em relação a tudo isso era muito delicada”, continuou Pútin, acrescentando que jamais ocupou os altos escalões do partido. Mesmo assim, “ao contrário de muitos funcionários, eu não joguei o meu cartão de sócio nem o queimei em público. Eu ainda o mantenho em casa”, contou o líder russo.

Bíblia soviética

Ainda durante o encontro da Frente Popular da Rússia, Pútin declarou que “gostava muito e ainda gosta” das ideias socialistas e comunistas.

Para o presidente, o chamado ‘Código moral do construtor do comunismo’, um conjunto de regras morais destinado a todos os membros do Partido Comunista, se parecia muito com a Bíblia em termos de conteúdo ideológico.

Porém, “a incorporação prática dessas ideias maravilhosas em nosso país ficou aquém do que os socialistas utópicos proclamavam”, completou Pútin, relembrando o assassinato da família real, de sacerdotes e até mesmo de funcionários oficiais da época imperial.

“Por que mataram o doutor [Evguêni] Bôtkin, os servos e proletários de um modo geral? Para quê? Apenas para esconder um crime”, disse o líder russo, emendando o discurso com críticas à atuação do Partido Comunista na Primeira Guerra Mundial.

Embora tenha apontado falhas nas políticas econômicas da União Soviética, Pútin reconheceu também que a economia planificada foi capaz de mobilizar recursos e resolver problemas nos setores de saúde e educação e na indústria da defesa.

Antes de encerrar o discurso, o presidente sugeriu ainda que as pessoas encarem a história sem interpretações dualistas. “Ela [história] deve ser estudada cuidadosamente e analisada objetivamente, de modo a evitar os erros cometidos no passado.”

Publicado originalmente pela agência Tass

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.