Teste nuclear da Coreia do Norte gera alerta no Kremlin

Teste foi conduzido dois dias antes do aniversário do ditador norte-coreano Kim Jong-Un

Teste foi conduzido dois dias antes do aniversário do ditador norte-coreano Kim Jong-Un

Reuters
Autoridades russas condenaram anúncio e sugerem aperto do controle internacional sobre o país. Bomba de hidrogênio tende a ser mais poderosa que a nuclear.

O teste bem-sucedido com uma miniatura de bomba de hidrogênio, anunciado pela Coreia do Norte na quarta-feira (6), gerou preocupação nas autoridades do Kremlin.

“O presidente Vladímir Pútin deu instruções para que fossem estudados cuidadosamente todos os dados de estações de monitoramento, incluindo sísmico”, disse o assessor da presidência, Dmítri Peskov, em uma coletiva de imprensa.

O deputado Vladímir Komoiedov, que chefia o comitê de Defesa da Duma de Estado (câmara baixa do Parlamento), qualificou o teste com a bomba como “assustador” e disse que o potencial nuclear do país deve ser colocado sob controle internacional.

Este foi o quarto teste com arma nuclear conduzido por norte-coreanos e o primeiro usando uma bomba de hidrogênio, cuja potência pode superar em até 50 vezes a da bomba atômica. Os testes anteriores ocorreram em 2006, 2009 e 2013.

A Coreia do Norte é, desde 2006, alvo de sanções que procuram minar o programa militar e armas de Pyongyang. O incidente da semana passada foi condenado pelo Conselho de Segurança da ONU, que prometeu novas medidas contra o país.

O embaixador russo na ONU, Vitáli Tchúrkin, apelou para que os países mantivessem “cabeça fria” diante do ocorrido e sugeriu uma “resposta proporcional” ao quarto ensaio nuclear da Coreia do Norte, informou a agência de notícias Reuters.

Com material do jornal The Moscow Times

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.