Procurador-geral liga acusações a empresário britânico

Tchaika rebate acusações: “Essa publicidade abusiva tem o objetivo de confundir a fase ativa da investigação” contra Browder

Tchaika rebate acusações: “Essa publicidade abusiva tem o objetivo de confundir a fase ativa da investigação” contra Browder

Vladímir Astapkovitch/RIA Nôvosti
Condenado por fraude na Rússia, o diretor-executivo do Hermitage Capital, William Browder, teria ajudado oposicionistas a produzir vídeo difamatório, segundo Iúri Tchaika. Britânico elogiou iniciativa, mas nega envolvimento nas denúncias.

Após ter a família envolvida em um escândalo de corrupção, o procurador-geral da Rússia, Iúri Tchaika, declarou que a investigação foi encomendada pelo empresário britânico William Browder, diretor-executivo e cofundador do fundo de investimentos Hermitage Capital Management e conhecido opositor do governo Pútin.

A acusação veio à tona no início de dezembro, quando a Fundação de Combate à Corrupção (FKB, na sigla russa), do também oposicionista Aleksêi Naválni, publicou um documento e um filme sugerindo conexões entre familiares de Tchaika e facções criminosas.

A resposta de Tchaika, publicada pelo jornal “Kommersant”, que havia cobrado explicações da Procuradoria-Geral da Rússia, é enfática ao citar que o “ataque” teria sido organizado por Browder, condenado por evasão fiscal na Rússia caso venha a cruzar a fronteira do país novamente.

“Prova disto são vários os fortíssimos ataques insultuosos sem precedentes contra mim e meus familiares na mídia e na internet, simultaneamente em vários países europeus – Alemanha, Suíça e Grécia, entre outros”, lê-se na resposta do procurador-geral.

Segundo Tchaika, a situação era evidente, já que Naválni, depois de dois processos judiciais, não conseguiria fazer um filme tão custoso sem ajuda de outra pessoa.

O procurador-geral da Rússia destacou ainda que a investigação dos crimes cometidos na Rússia por Browder e seus cúmplices continua, “por isso é claro que essa publicidade abusiva tem o objetivo de confundir a fase ativa da investigação criminal denegrindo a reputação da Procuradoria-Geral e de seu chefe, que instaurou o processo judicial.”

Em resposta às declarações do procurador-geral, Browder negou participação na denúncia. “Estou muito impressionado com a investigação, que se transformou em um filme”, escreveu Browder em seu site, chamado “Lei e Ordem na Rússia”.

“Aplaudo Naválni e seus colegas pela coragem em revelar essa informação chocante sobre Tchaika e sua família, mas eu não tomei parte da investigação, do financiamento e da produção do filme”, concluiu o empresário britânico.

Em 2013, Browder foi condenado a nove anos de prisão na Rússia, após ser deflagrado um esquema de evasão fiscal criado pelo britânico e pelo auditor do fundo, Serguêi Magnítski. O país perdeu mais de 5 bilhões de rublos (US$ 72 milhões) em impostos.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.