Pútin cancela participação em cúpula da APEC

Medvedev (à dir.) já substituiu Pútin em cúpulas internacionais anteriormente

Medvedev (à dir.) já substituiu Pútin em cúpulas internacionais anteriormente

Ekaterina Shtukina/Kremlin
Presidente será substituido por premiê, que goza de simpatia com Obama.

O presidente russo Vladímir Pútin não comparecerá à cúpula da APEC (Cooperação Econômica Ásia-Pacífico), que ocorre entre 18 e 19 de novembro na capital das Filipinas, segundo informou nesta quinta-feira (12) seu porta-voz, Dmítri Peskov.

O motivo, segundo Peskov é a "otimização da agenda do líder do país". O premiê Dmítri Medvedev substituirá o presidente no encontro.

"A Rússia será representada na cúpula da APEC pelo premiê, que tem planejadas na região do Sudeste Asiático outros contatos e visitas cujas informações poderão ser repassadas pelo governo, e, assim, levando em conta a otimização das agendas, o presidente tomou essa decisão", declarou Peskov.

Anteriormente, o ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Serguêi Lavrov, havia anunciado que o presidente aceitou o convite do líder filipino Benigno Aquino para participar da cúpula.

Além disso, a maior parte dos membros da APEC será representada na cúpula por seus respectivos líderes.

Mas, apesar da ausência, o presidente Pútin terá um artigo de punho prórpio publicado ao fim da cúpula nos principais veículos de imprensa dos países da APEC.

Simpatia com Obama

O presidente do Conselho para Política Externa e Defesa, Fiódor Lukiánov, disse ao portal Gazeta.Ru ser imprudente buscar motivos políticos por trás da troca.

"O presidente irá à cúpula do G20, na Turquia, e, depois, à Conferência do Clima, em Paris. Acho que ele simplesmente resolveu fazer uma pausa. Nos últimos tempos, Pútin raramente tem viajado. Os líderes com quem ele quer falar estarão no G20. Pode-se dizer que a decisão é uma divisão de tarefas", diz.

Além disso, ele relembra que "a prioridade do presidente agora é o Oriente Médio, e o tema ecoará no G20". "E Pútin também poderá discutir o assunto com Obama tanto na Turquia, como na Conferência do Clima, em Paris".

Medvedev já substituiu Pútin em cúpulas internacionais anteriormente. Em maio de 2012, por exemplo, recém-confirmado como premiê, ele foi enviado à cúpula do G-8, nos EUA. O motivo oficial da troca, então, era que o presidente precisaria terminar de formar os gabinetes ministeriais do novo governo.

Como segundo no linha hierárquica do país, o premiê Medvedev não está presente com frequência em encontros internacionais do alto escalão da APEC.

O portal russo Gazeta.Ru especula que talvez Medvedev não consiga se encontrar com o presidente norte-americano Barack Obama - que se viram pela última vez há um ano, na cúpula do Leste Asiático, em Mianmar, onde trataram da crise ucraniana. Mas acrescenta que, diferentemente de Pútin, o premiê goza de simpatia com Obama.

Além disso, segundo o portal, há quem acredite que, mesmo depois de Medvedev deixar a presidência, ele ainda mantenha contato informal com o presidente norte-americano até hoje. Segundo analistas, esses contatos seriam usados como "plano B" das relações russo-americanas.

Apesar disso, em outubro os EUA rejeitaram a proposta de receber uma alta delegação para tratar da crise síria. Pútin havia incumbido Medvedev de liderar a delegação.

Com material do jornal Kommersant e do portal Gazeta.Ru

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.