País empresta US$ 1,3 bi para obras de termoelétrica em Cuba

Rogózin (esq. ao fundo) participou de reunião bilateral para celebração do acordo

Rogózin (esq. ao fundo) participou de reunião bilateral para celebração do acordo

Serguêi Mamontov/RIA Nôvosti
Acordo para injeção de capital na economia cubana prevê esquema de retorno dos fundos. Implementação de projetos aumentará potencial energético da ilha em 20%.

O governo russo fornecerá a Cuba um empréstimo no valor de US$ 1,3 bilhão para financiar a construção de quatro unidades de uma usina termoelétrica, de acordo com documento assinado entre o ministro das Finanças russo, Anton Siluanov, e o vice-presidente do Conselho de Ministros cubano, Ricardo Cabrisas.

“É a primeira grande injeção na economia cubana nos últimos 25 anos”, disse o vice-premiê russo, Dmítri Rogózin, após a reunião. “O esquema de retorno dos fundos é clara e estável. Entendemos a economia do processo e temos toda a certeza de que o lado cubano poderá garantir o uso correto dos fundos russos”, acrescentou.

Também foi assinado um acordo de empréstimo para a modernização e desenvolvimento da usina metalúrgica José Martí, conhecida como Antillana de Acero.

“Os acordos assinados hoje representam um avanço significativo. A Rússia participará da construção de quatro unidades de energia das usinas termoelétricas Maximo Gomez e East of Havana”, informou Rogózin, ressaltando o “consenso integral” entre as partes.

A implementação desses projetos vai aumentar o potencial energético da ilha em 20%. “É uma grande oportunidade para reintroduzir tecnologias russas em Cuba”, arrematou o vice-premiê.

Glonass

Entre os planos russos em Cuba está a construção de estações de correção diferencial e monitoramento do sistema de navegação por satélite Glonass.

“Os Estados Unidos não querem construir estações do Glonass [em seu território], mas a Cuba nos ajudará a melhorar a precisão do sinal do sistema de navegação”, adiantou Rogózin.

Os centros também permitirá aos especialistas russos observar asteroides e cometas que representem ameaça à Terra.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.