Federais estarão em peso em cúpula de universidades do Brics

Universidade Federal do Ceará será uma das instituições brasileiras no rol de participantes de cúpula do Brics

Universidade Federal do Ceará será uma das instituições brasileiras no rol de participantes de cúpula do Brics

Davi Pinheiro/Flickr Reitoria da UFC
Delegação brasileira participará de encontro na Rússia sobre educação e intercâmbio entre os países do Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul). Primeiro evento do grupo nesse formato deve resultar em acordo para criação de Universidade dos Brics.

De 26 a 28 de outubro, especialistas das universidades federais de Brasília, Ceará, Goiás, Minas Gerais, Pelotas e São Carlos, entre outras, discutirão temas como acesso à educação, intercâmbio acadêmico e atração de jovens para a política, durante a cúpula universitária global dos Brics, em Moscou. O evento reunirá mais de 400 representantes dos países-membros do grupo.

“No nosso caso, tivemos cuidado para convidar instituições representativas de várias regiões do país, tendo em  vista a diversidade do Brasil”, disse à Gazeta Russa Maria Leticia Mazzucchi Ferreira, chefe do departamento de relações internacionais da Universidade Federal de Pelotas.

Como representante do Brasil na sessão sobre “Política de juventude: o papel de jovens líderes na construção da agenda global de união do Brics”, Ferreira irá apresentar um projeto que surgiu em 2014 a partir de ex-estudantes do programa “Ciência Sem Fronteiras” que enfrentavam dificuldade de aplicar seus conhecimentos na volta ao país.

“Eles construíram uma rede de cooperação e estimulo à internacionalização, funcionando como uma espécie de conselheiro e facilitador para os estudantes que vivem essa realidade”, contou. “E essa experiência é importante na formação de jovens líderes, que é um principio dos Brics. A cooperação entre nosso países abrem novos campos e perspectivas aos jovens brasileiros.”


Ministro Aldo Rebelo vai liderar a delegação brasileira Foto: Giba/ Ascom/ MCTI/Flickr Ministério da Ciência Tecnologia e Inovação

A intenção de criar uma rede educacional dos Brics para estimular trocas nas áreas de educação e ciência foi também anunciada pelo representante da chancelaria russa Pável Kniazev durante o Fórum de Universidades do Brics, que termina nesta segunda-feira (19) em Pequim, na China.

“O alargamento da cooperação entre os Brics em ciência e educação reflete uma tendência comum que existe no grupo”, disse o diplomata. Energia, tecnologia de informação, ecologia e mudanças climáticas estão entre as áreas prioritárias de cooperação.

Primeira vez

Trata-se do primeiro encontro entre ministros e profissionais de universidades do Brics nesse formato. O chefe da pasta de Ciência, Tecnologia e Inovação, Aldo Rebelo, vai liderar a delegação brasileira.

Na abertura do evento falarão os ministros russos dos Negócios Estrangeiros, Serguêi Lavrov, e da Educação, Dmítri Livanov. Além da criação de uma rede universitária do Brics, outros temas, como a reforma das instituições econômicas internacionais, desarmamento, luta contra o terrorismo e cibersegurança, estarão na agenda da cúpula.

As sessões acontecerão em quatros universidades da capital russa: Mgimo (Instituto Estatal de Relações Internacionais), Universidade Estatal de Moscou Lomonossov, Universidade Russa da Amizade dos Povos e Universidade Nacional de Ciência e Tecnologia (MISiS).

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.