“É possível comprar tudo, exceto pessoas”, diz presidente do Tatarstão

Minnikhanov durante Fórum Inovações Abertas 2014, em Moscou Foto: Evguêni Biatnov/RIA Nôvosti

Minnikhanov durante Fórum Inovações Abertas 2014, em Moscou Foto: Evguêni Biatnov/RIA Nôvosti

Em entrevista à Gazeta Russa, líder regional falou como o desenvolvimento da educação pode atrair investidores estrangeiros.

Povoada sobretudo por muçulmanos, a República de Tatarstão, a 1.300 km de Moscou, concentra grandes corporações da Turquia, dos EUA, da China e do Reino Unido. Não é à toa que, em 2015, a região passou a ocupar o primeiro lugar no ranking nacional de clima de investimentos. Entrevistado pela Gazeta Russa, o presidente do Tatarstão, Rustam Minnikhanov, explicou como seu governo têm conseguido atrair investimentos do exterior e destacou o papel da educação no cenário econômico: 

Quais são os maiores projetos no Tatarstão com participação de investidores estrangeiros?

Trabalhamos com os investidores de todo o mundo. Agora, estamos desenvolvendo projetos importantes com os turcos, que investiram cerca de US$ 1,5 bilhões na economia de região. Já abrimos várias fábricas de empresas turcas em nosso território.

US$ 28,8 bilhões

é o volume do PIB regional do do Tatarstão em 2014

Além disso, a empresa dinamarquesa Rockwool abriu a maior fábrica de materiais isolantes. Colaboramos também com os norte-americanos: a empresa Armstrong, que produz tetos, já trabalha no nosso mercado, e a 3M está concluindo a construção de sua fábrica. Agora, as empresas chinesas estão construindo uma fábrica de fertilizantes minerais.

Os seus funcionários estudam em Cingapura. Por que o senhor os envia para esse país?

Cingapura possui uma ótima plataforma educacional, além de uma experiência única. Desde os anos 1960, o país conseguiu se tornar líder mundial em muitos setores. Eles têm um sistema muito forte para formação de administradores. Por isso, criamos uma empresa conjunta e assinamos acordos com dois centros educativos em Cingapura para formação de funcionários públicos.

Todos os anos, enviamos para lá os ministros e os chefes administrativos para cursos de dez dias. É muito importante que as pessoas vejam como outros países se tornaram líderes globais.

A educação baseada na experiência internacional ajuda a atrair investidores estrangeiros para a região?

Os investidores prestam muita atenção em seus futuros colegas. Para mim, ter um quadro de funcionários altamente qualificado é a maior vantagem competitiva. Afinal, é possível comprar tudo, exceto pessoas.

US$ 9,7 bilhões

é o volume de investimentos estrangeiros no Tatarstão em 2014

O Tatarstão apoia ativamente os bancos islâmicos. O senhor acredita acha que o capital islâmico poderá substituir o financiamento ocidental?

Sempre se disse que a Rússia não tem laços com o mundo islâmico. No entanto, dos quase 2 bilhões de muçulmanos no mundo, 20 milhões moram na Rússia. Fato é que o mundo islâmico é mais construtivo e tem mais oportunidades, o que foi confirmado pelo fórum Kazansummit, que contou com a presença de representantes de 46 países.

Após a introdução das sanções, a Rússia foi obrigada a achar outras fontes de financiamento. É preciso admitir que hoje os bancos islâmicos são instituições desconhecidas na Rússia, mas eles se tornam cada vez mais populares não só nos países islâmicos, mas também no Reino Unido e em países europeus. Assim como lá, a Rússia também é capaz de trabalhar em conformidade com as leis islâmicas.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.