Brics contra o uso de internet para fins militares

Organização de ataques cibernéticos de um governo contra o outro está se tornando cada vez mais generalizada Foto: Reuters

Organização de ataques cibernéticos de um governo contra o outro está se tornando cada vez mais generalizada Foto: Reuters

Países exigem internacionalização da gestão da rede, atualmente sob controle dos EUA.

Os países do Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) querem a democratização da atividade da Corporação da Internet para Atribuição de Nomes e Números (Icann, na sigla em inglês), declarou o embaixador do Ministério das Relações Exteriores e coordenador do grupo do Brics, Vadim Lukov.

“Queremos a internacionalização da rede de gestão da internet, que até hoje está sob o controle dos Estados Unidos, embora a Icann seja a operadora”, disse. “A organização é formalmente internacional, mas, na realidade, as suas posições refletem os interesses dos Estados Unidos e outros governos ocidentais.”

“Nós somos a favor de tornar a atividade da Icann mais democrática e de promover uma mudança radical no processo de tomada de decisão”, afirmou Lukov. “O fato de que a maior parte dos usuários serem de países emergentes não ocidentais deve ser levado em conta. Por que a minoria deve impor sua vontade sobre a maioria?”

“Os países são contra o uso da internet para fins militares e organização de ataques cibernéticos de um governo contra o outro ou contra os operadores de outros países”, disse. “Infelizmente, essas práticas estão se tornando mais e mais generalizadas.”

Ainda de acordo com o diplomata, os Brics devem desempenhar um papel de peso no desenvolvimento de um acordo internacional de segurança da informação. “Como primeiro passo, oferecemos um acordo desse tipo aos parceiros do Brics. Todos os membros responderam, mostrando interesse real em estudar a nossa proposta.”

 

Publicado originalmente pela agência Tass

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.