“80% dos oficiais de segurança em 2012 eram espiões russos”, diz Porochenko

Segundo presidente ucraniano, aliados do Kremlin estariam infiltrados no serviço de segurança nacional Foto: Mikhail Palintchak/RIA Nóvosti

Segundo presidente ucraniano, aliados do Kremlin estariam infiltrados no serviço de segurança nacional Foto: Mikhail Palintchak/RIA Nóvosti

O presidente ucraniano Petrô Porochenko declarou que a maioria das autoridades de segurança nacionais que trabalhavam no antigo governo de Kiev haviam sido recrutados pelo Serviço de Segurança Federal (FSB, na sigla em russo) da Rússia.

Em palestra a estudantes de uma universidade em Kharkov, Porochenko afirmou que cerca de 80% dos funcionários que trabalhavam para os serviços de segurança da Ucrânia (SBU) em 2012 tinham sido recrutados também pelo Serviço Federal de Segurança da Rússia, segundo informações do portal de notícias Ukrinform.

O presidente ucraniano não forneceu mais detalhes sobre o assunto, mas uma reportagem publicada este mês pelo “The Wall Street Journal” sugeriu que espiões russos e simpatizantes de Moscou estiveram firmemente enraizados nos departamentos do Serviço de Segurança da Ucrânia quando eclodiu o conflito leste do país, em meados de 2014.

A reportagem cita o exemplo de três agentes do SBU que foram capturados por rebeldes, após a divulgação de detalhes de uma missão no leste da Ucrânia. “As autoridades do governo [ucraniano] acreditam agora que a operação foi frustrada por um aliado de Moscou que atuava no alto comando da agência de segurança de Kiev”, lê-se na reportagem.

 

Publicado originalmente pelo The Moscow Times

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.