Nôvaia Gazeta poderá deixar bancas a partir de maio

Dmítri Muradov, editor-chefe da Nóvaia Gazeta  Foto: Serguêi Mamontov / RIA Nóvosti

Dmítri Muradov, editor-chefe da Nóvaia Gazeta Foto: Serguêi Mamontov / RIA Nóvosti

Diário oposicionista que contou com Anna Politkóvskaia entre seus jornalistas enfrenta dificuldades financeiras. Assessora de imprensa do diário, Nadejda Prusenkova informou que jornal já não recebe fundos dos acionistas há mais de um ano, assim como lucros gerados por publicidade.

O diário impresso "Nôvaia Gazeta" poderá sair de circulação a partir de maio, anunciou a assessora de imprensa do veículo, Nadejda Prusenkova.

"Acreditamos que em maio a versão impressa da 'Nôvaia Gazeta' pare de circular. Em primeiro lugar, claro, devido a motivos financeiros. Estamos passando por uma situação complicada: nossos acionistas não prestam qualquer ajuda há mais de um ano devido às próprias dificuldades nos negócios", disse Prusenkova.

Nôvaia Gazeta ameaçada

O diário 'Nôvaia Gazeta' circula na Rússia desde 1993 e é conhecido por seu foco em jornalismo investigativo. Devido a sua atuação persistente no campo, diversos de seus jornalistas já receberam ameaças, foram agredidos e até assassinados. A mais famosa funcionária do jornal foi Anna Politkóvskaia (1958-2006), que denunciou, sobretudo, crimes cometidos contra a população do Cáucaso do Norte e abusos a jovens conscritos no serviço militar russo.

Segundo ela, também há dificuldades com a publicidade. "Essa fonte [de rendimentos], infelizmente, inexiste no momento", disse.

Outro problema é "a falta de um ambiente de concorrência", já que o veículo não recebe subsídios nem do governo, nem da cidade.

"Além disso, agravam-se as condições de saída da produção no mercado de veículos impressos com o pano de fundo da crise", disse.

Site continuará a funcionar

Apesar disso, a versão eletrônica da "Nôvaia Gazeta" continuará a funcionar normalmente.

"Analisamos agora opções de venda de parte do pacote de ações. Buscamos  saídas, engatamos conversações. E nosso investidor participa de tudo", disse Prusenkova.

No momento, a redação de prepara uma edição especial do jornal dedicada ao Dia da Vitória, 9 de maio.

"Se a situação não der uma guinada até maio, então acredito que teremos que parar de produzir a versão impressa. Agora, com o salto qualitativo que deu a 'Nôvaia Gazeta', isso é uma vergonha."

 

Com material da agência Ria Nôvosti

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.