Rússia ameaça deixar APCE

Puchkov: saída da APCE será analisada no final de 2015 "dependendo da situação política". Foto: TASS

Puchkov: saída da APCE será analisada no final de 2015 "dependendo da situação política". Foto: TASS

Possibilidade de romper com Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa foi aventada nessa quarta-feira (28) em Estrasburgo por chefe da delegação russa, Aleksêi Puchkov.

Nessaa quarta-feira (28), o chefe da delegação russa em Estrasburgo, na França, aventou a possibilidade de romper completamente com a APCE (Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa).

"Deixaremos a Assembleia Parlamentar até o final deste ano. Parabenizamos a Assembleia Parlamentar pela adoção da decisão descabida que representa um forte golpe para o diálogo entre os parlamentos de toda a Europa", disse Aleksêi Puchkov, referindo-se à decisão da APCE de suspender os direitos da delegação russa até abril.

"Quero ressaltar que até agora não foi autorizada na Rússia a possibilidade de deixar o Conselho da Europa, e a decisão da APCE coloca essa possibilidade na ordem do dia", completou.

"Os parlamentares do Conselho da Europa formularam em sua resolução uma série de exigências que são dignas de nota por sua impossibilidade de se realizar e absurdas em relação a um retorno da Crimeia à Ucrânia e à retirada das tropas russas da península", disse à agência Ria Nôvosti o senador Aleksêi Aleksandrov, membro da delegação russa.

"Não é uma via construtiva, mas não foi escolha nossa. Estávamos dispostos a trabalhar com a APCE, escutar críticas voltadas a nós, explicar nossa posição em relação a algumas delas. Mas nos tiraram a voz e não querem nos escutar", diz o primeiro vice-presidente do comitê do Conselho da Federação para assuntos externos, Vladímir Djabarov.

Segundo fonte da Gazeta Russa que não quis ser identificada, o próximo passo será dado quando a Rússia deixar de pagar contribuições por sua filiação à APCE. Esse valor chega a cerca de 32,3 milhões de euros por ano, ou seja, 10,5% do orçamento da organização.

Até o final do ano

Puchkov anunciou que a questão da retirada da APCE será analisada no final de 2015 "dependendo da situação política".

"Acho que não devemos assustar um o outro com ameaças de excluir alguém do Conselho da Europa ou de sair desse. Não imagino o que poderá acontecer à Europa atual, e mais uma vez iremos dividir povos e excluir uns os outros. Deveríamos superar os problemas que se impõem diante de nós hoje", disse à Gazeta Russa o secretário-geral do Conselho da Europa, Thorbjorn Jagland.

Para ele, o Conselho da Europa é importante à Rússia porque "é justamente ali que a Rússia estabelece contato com o resto da Europa e se mostra como uma nação europeia".

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.