Líder da oposição sentenciado em Moscou

Foto: AP

Foto: AP

Acusado por desvio de verbas, Aleksêi Naválni terá que cumprir 3,5 anos em condicional.

Os irmãos Aleksêi e Oleg Naválni foram considerados culpados no veredito do caso Yves Rocher divulgado nesta terça-feira (30) pelo tribunal de Moscou.

Pelo veredito, Aleksêi terá que cumprir 3,5 anos em liberdade condicional e  Oleg, 3,5 anos de prisão efetiva.

Além da condicional, Aleksêi foi multado em 500 mil rublos (US$ 8.830), além de ter confiscados 4,8 milhões de rublos (US$ 84.800) por meio de uma ação civil de uma empresa de processamento de cartões bancários.

Redução da pena

A promotoria havia pedido nove anos de prisão ao oposicionista Aleksêi Naválni.

O blogueiro já cumpria sentença relativa ao caso Kirovles, condenado em 2013 a cinco anos de prisão por apropriação indevida de propriedade da madeireira estatal - pena que também foi alterada para liberdade condicional.

Para Oleg Naválni, a promotoria pedia oito anos de prisão.

Segundo o inquérito do caso Yves Rocher, os irmãos Naválni "cometeram fraudes contra a empresa Yves Rocher Vostok entre 2008 e 2013 em um montante que excedeu os 26,7 milhões de rublos (US$ 471.700), além de fraudar uma empresa de processamento de cartões bancários em valor superior a 4,4 milhões de rublos (US$ 77.700)".

Em 15 de dezembro, Naválni afirmou que as acusações seriam "falsas do início ao fim".

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.