“Uma a cada três autoridades russas é corrupta”, diz chefe de comitê anticorrupção

País ainda luta para se livrar do legado das décadas de 1990 e 2000 Foto: Getty Images/Fotobank

País ainda luta para se livrar do legado das décadas de 1990 e 2000 Foto: Getty Images/Fotobank

O diretor do serviço anticorrupção declarou nesta terça-feira (9) que um em cada três autoridades russas aceita subornos. Declaração contraria suposto sucesso na luta contra a corrupção endêmica.

“Cerca de 30% dos funcionários do governo são corruptos”, disse o chefe do Comitê Nacional de Combate à Corrupção, Kirill Kabanov, em entrevista a uma rádio russa.

O país ainda luta para se livrar do legado dos anos 1990 e 2000, quando os baixos salários de funcionários do governo e a falta de controle estimulavam uma infinidade de práticas de corrupção.

Segundo Kabanov, o verdadeiro problema agora está na chamada “corrução corporativa” para desviar dinheiro do Estado. “A menos que a gente consiga eliminar essa tendência, a luta contra as autoridades corruptas continuará sendo superficial.”

Um dia antes da declaração de Kabanov, o chefe da administração presidencial Serguêi Ivanov havia anunciado progresso na luta contra a corrupção. Segundo ele, as autoridades russas reportam cada vez mais casos de suborno.

“Mais de 3.000 queixas do gênero foram recebidas neste ano, o que representa um sentimento crescente de responsabilidade entre os altos funcionários do Estado”, disse Ivanov.

 

Publicado originalmente pelo The Moscow Times

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.