Governo facilita obtenção de cidadania para empresários estrangeiros

Ator francês Gérard Depardieu recebeu cidadania russa no início de 2013 Foto: TASS

Ator francês Gérard Depardieu recebeu cidadania russa no início de 2013 Foto: TASS

Resolução governamental foi assinada pelo primeiro-ministro russo Dmítri Medvedev. De acordo com os analistas, embora oportuna, a decisão do governo será pouco eficaz em fazer o país sair da recessão econômica.

O texto do decreto assinado recentemente por Medvedev havia sido aprovado por legisladores russos ainda em junho deste ano. A ideia é facilitar a obtenção da cidadania russa por parte de cidadãos estrangeiros empresários, investidores e especialistas qualificados.

“A fim de atrair investimentos estrangeiros para a economia nacional, um procedimento simplificado para a obtenção da cidadania russa se ​​aplica a empresários e investidores estrangeiros que exerçam atividades previstas na Classificação Nacional de Atividades Econômicas, com algumas exceções”, lê-se no documento.

As alterações à legislação russa afetam, contudo, apenas os empresários com renda anual é superior a 10 milhões de rublos (US$ 250 mil) e investidores cuja participação em uma empresa russa é de, pelo menos, 10%do capital social.

A medida também não abrange os empresários envolvidos em comércio atacadista nem em atividades relacionadas com a reparação de veículos automóveis, hotelaria, alimentação, imóveis, publicidade, direito e contabilidade.

“Essas exceções se devem ao fato de não existir a necessidade de atrair mais pessoas para esses tipos de atividade”, destaca o documento.

Alívio para sanções

“Essa prática existe em todos os países e eu estou contente que os legisladores tenham se apressado para adotar o decreto. É uma grande oportunidade para aumentar o número de postos de trabalho no país durante a recessão causada pela pressão econômica das sanções”, disse à Gazeta Russa o responsável pelo Departamento Regional de Economia e Geografia Econômica da Escola Superior de Economia, Aleksêi Skopin.

O analista criticou apenas a exigência de renda com “valores transcendentais” do empresário – análise apresentada também por Vladímir Klimanov, economista da Academia Presidencial Russa de Economia Nacional e Administração Pública.

“Temo que, após a adoção, o documento comece a ter um caráter muito restrito e não tenha efeito ampliado sobre os pequenos empreendedores”, ressaltou Klimanov. “O que mais importa agora é que esta decisão não se torne apenas uma jogada para dar boa imagem ao governo e depois não receba a necessária implementação na prática.”

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.