“Quase 92% dos russos apoiam a adesão da Crimeia”, diz Pútin

Pútin aprovou acordo de integração para aceitar a Crimeia como parte da Federação Russa Foto: Konstantin Zavrájin/RG

Pútin aprovou acordo de integração para aceitar a Crimeia como parte da Federação Russa Foto: Konstantin Zavrájin/RG

Na última segunda-feira (17), o presidente Vladímir Pútin assinou um decreto reconhecendo a República da Crimeia como um Estado soberano e independente. Hoje cedo, Pútin aprovou um acordo de integração para aceitar a Crimeia como parte da Federação Russa. O documento apresentado ao Conselho da Federação (senado russo) se refere à aceitação também da cidade de Sevastopol. Confira abaixo os principais pontos expressos pelo presidente russo durante anúncio da decisão nesta terça-feira (18).

Referendo na Crimeia

“A Crimeia citou a Carta da ONU ao definir a data para o referendo (...) O Ocidente insiste que a Rússia violou o direito internacional, mas graças a isso sabemos que  tais leis existem.”

“O referendo da Crimeia foi realizado em plena conformidade com os procedimentos democráticos (...) Mais de 82% dos eleitores participaram do referendo, e mais de 96% votaram a favor da adesão à Rússia.”

“Quase 92% dos russos apoiam a adesão da Crimeia à Federação Russa (...) A Rússia tem que tomar uma decisão difícil e considerar a opinião de todos os russos.”

Cooperação com Ocidente

“A cooperação com a Otan é bem-vinda, mas não queremos a presença da aliança em nossas fronteiras (...) A Rússia não tem intenção de tomar outras regiões após Crimeia, e respeitamos a integridade territorial da Ucrânia.”

“Sempre oferecemos cooperação em uma série de questões, mas não vimos reciprocidade”, disse Pútin, ao falar sobre a cooperação com os pares ocidentais em torno da questão da Ucrânia. Segundo o presidente russo, seria “uma traição deixar a Crimeia em apuros”, e os EUA não têm o direito de decidir o destino da população local.

“Os EUA dizem que o precedente de Kosovo é um caso único, então por que é que eles pensam que a situação da Crimeia não é única? (...) Não se trata de dois pesos e duas medidas, mas de cinismo puro.”

Pútin também aproveitou para agradecer a liderança chinesa por avaliar a situação ucraniana com toda a sua complexidade histórica.

Presente e futuro

“A população de língua russa na Ucrânia enfrenta humilhação constante (...)

Sempre acreditamos em relações de boa vizinhança com a Ucrânia, mas a situação se desenvolveu em outra direção.”

“Sevastopol é uma fortaleza russa e porto para a frota russa do Mar Negro.”

Pútin destacou a importância de garantir o direito de todas as etnias na Crimeia, incluindo os tártaros da Crimeia, por meio de medidas Haverá três línguas oficiais na região: russa, ucraniana e tártaro da Crimeia.

 

Publicado originalmente pela agência de notícias Itar-Tass

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.