Serviço penitenciário coloca pulseira eletrônica em Naválni

Ativista anti-Kremlin está proibido de deixar seu apartamento em Moscou Foto: Reuters / Vostock Photo

Ativista anti-Kremlin está proibido de deixar seu apartamento em Moscou Foto: Reuters / Vostock Photo

Líder da oposição ficará sob prisão domiciliar no próximos dois meses por desrespeitar decisão judicial.

Agentes penitenciários russos colocaram, nesta segunda-feira (3), uma pulseira eletrônica no líder da oposição Aleksêi Naválni para monitorar suas atividades ao longo dos próximos dois meses, enquanto ele ficará sob prisão domiciliar.

“Naválni recebeu uma pulseira eletrônica, por meio da qual os agentes poderão monitorar o cumprimento dos termos da prisão domiciliar”, anunciou um porta-voz do Serviço Penitenciário Federal.

O ativista anti-Kremlin está proibido de deixar seu apartamento em Moscou, bem como de usar a internet, telefone ou qualquer outro meio de comunicação que não seja para falar com sua família, advogados e investigadores da polícia, até 28 de abril.

Naválni, que voltou para casa nesta segunda após passar uma semana na prisão por participar de um protesto de rua não autorizado, recebeu a sentença de prisão domiciliar na semana passada. O tribunal decidiu que ele violara repetidamente um acordo de não deixar a capital durante outra investigação criminal contra ele. 

O oposicionista desempenhou um papel de liderança nas manifestações em massa contra o líder russo Vladímir Pútin, em 2011 e 2012, e está sob investigação por desvio de dinheiro da empresa de cosméticos Yves Rocher juntamente com seu irmão, Oleg.

 

Publicado originalmente pelo The Moscow News

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.