Exercícios militares súbitos não têm relação com crise na Ucrânia

Os testes estão sendo realizados nas fronteiras da Rússia com outros países, incluindo a Ucrânia Foto: ITAR-TASS

Os testes estão sendo realizados nas fronteiras da Rússia com outros países, incluindo a Ucrânia Foto: ITAR-TASS

Autoridades do Ministério da Defesa garantem que verificação do grau de prontidão das Forças armadas já havia sido programada antes dos desdobramentos da crise no país vizinho.

Na última quarta-feira (26), o presidente Vladímir Pútin ordenou a súbita realização de exercícios militares para verificação do grau de prontidão dos distritos militares ocidental (DMO) e central (DMC). Também foram colocados em estado de alerta o Comando de Defesa Aeroespacial, as Tropas Aerotransportadas e a aviação de transporte militar de longo alcance.

Operação em números

150 mil pessoas de diferentes escalões e tropas

90 aeronaves

120 helicópteros

880 tanques 

80 navios

1.200 outros veículos militares

“No ano passado, aumentamos os indicadores de correção dos equipamentos, bem como o número de efetivos nas formações das unidades militares. Queremos agora ver a consistência da sua operacionalidade”, explicou o ministro da Defesa russo, Serguêi Choigu. Até o dia 7 de março, as tropas irão regressar aos seus locais de origem.

Os testes estão sendo realizados nas fronteiras da Rússia com outros países, incluindo a Ucrânia, mas os responsáveis pela pasta ressaltaram que a iniciativa repentina nada tem a ver com a crise política no país. “Independentemente de qualquer evento, é necessário cuidar da prontidão das Forças Armadas”, disse o vice-ministro da Defesa, Anatóli Antonov, acrescentando que os testes já estavam programados desde antes.

Antonov confirmou, contudo, que o órgão está acompanhando de perto os desdobramentos na Crimeia e em torno da Frota do Mar Negro. “Estamos tomando medidas para garantir a segurança das instalações”, disse.

Os exercícios militares anteriores aconteceram em julho do ano passado, com participação das tropas do Distrito Militar do Leste. A operação, que envolveu mais de 80.000 soldados russos, foi o maior exercício de prontidão súbita do Exército depois de 1991.

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.