Líder nacionalista cria polêmica “fascista” em rede nacional

Durante programa de TV, deputado defendeu “limitar a natalidade no Cáucaso e cercar o território com arame farpado” Foto: Photoshot/Vostcok Foto

Durante programa de TV, deputado defendeu “limitar a natalidade no Cáucaso e cercar o território com arame farpado” Foto: Photoshot/Vostcok Foto

O deputado e líder do Partido Liberal Democrático da Rússia (LDPR), Vladímir Jirinóvski, disse em um programa de TV que “é preciso limitar a natalidade no Cáucaso e cercar o território com arame farpado”. Em resposta, o presidente da República da Tchetchênia, Ramzan Kadirov, chamou o político de “fascista” e exigiu medidas energéticas da Comissão Parlamentar de Ética.

Durante um programa de TV no canal federal “Rossia 1”, Jirinóvski declarou que todos os males da Rússia estão enraizados no Cáucaso. “A única saída é tomar medidas rigorosas para limitar a natalidade na região”, frisou Jirinóvski. Para resolver o problema, o líder do LDPR sugeriu, então, “cercar o Cáucaso com arame farpado”.

O presidente da República da Tchetchênia, Ramzan Kadirov, reagiu imediatamente ao comentário em sua conta no Instagram, referindo-se a Jirinóvski como um “fascista” que jamais poderia lidar com assuntos de importância estatal.

Kadirov, que também expressou sua admiração pelo fato de os deputados das repúblicas caucasianas não terem reagido aos comentários do líder do LDPR, alega que as observações de Jirinóvski “são de caráter extremista e provocatório, e contêm indícios de ódio para com vários povos, suas religiões e origens nacionais”. “

Em sua opinião, seria lógico se deputados do Daguestão, Tchetchênia, Kabardino-Balkária e outras repúblicas do Cáucaso Norte dessem sua avaliação ao discurso de Jirinóvski e apelassem à Comissão de Ética da Duma (câmara dos deputados na Rússia).

Os responsáveis da Comissão Parlamentar de Ética não excluem a possibilidade de os seus membros terem que analisar comentários feitos pelo líder do LDPR. “A Duma está na chamada ‘semana regional’, na qual representantes de todos os grupos parlamentares se encontram com seus eleitores. Pode ser que, ao voltarem das regiões, os deputados do Cáucaso do Norte redijam a respectiva apelação para a nossa Comissão”, disse à agência Interfax o vice-chefe da Comissão de Ética, Andrei Andreev.

O líder do partido Iábloko, Serguêi Mitrókhin, chegou, inclusive,  líder partidário, a contactar o Comitê de Investigação da Rússia, exigindo a instauração de um processo criminal contra o dirigente do LDPR.

Quando a polêmica veio à tona, Jirinóvski, que já é conhecido por suas declarações polêmicas, justificou a declaração pela luta empreendida contra o terrorismo. “Será que ofendi alguém na rua? Simplesmente falei sobre luta contra terrorismo que já decorre no mundo inteiro”, disse ele à rádio Komsomólskaia Pravda.

“O que o tribunal tem a ver com isso? Ora, vamos suspender a Constituição. Pronto, venha a ditadura e o regime severo – todos ficarão calados”, acrescentou Jirinóvski, convencido de que sua posição é compartilhada por 90% dos cidadãos da Rússia.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.