A prova dos nove de Pútin

"Não estamos protegendo Snowden" disse Pútin sobre o asilo concedido ao ex-consultor da CIA Foto: ITAR-TASS

"Não estamos protegendo Snowden" disse Pútin sobre o asilo concedido ao ex-consultor da CIA Foto: ITAR-TASS

Às vésperas da cúpula do G20 em São Petersburgo, o presidente russo falou questões latentes que vêm afetando a imagem da Rússia no cenário internacional.

Em uma recente entrevista ao Canal Um e à agência de notícias Associated Press, o presidente Vladímir Pútin falou desde a sua posição no conflito na Síria e o ex-funcionário da CIA Edward Snowden à disposição de ouvir os representantes da comunidade LGBT.

Diante do evento internacional em São Petersburgo, o chefe do governo russo também forneceu mais detalhes sobre os principais assuntos principais a serem abordados na cúpula e ressaltou a necessidade de um encontro com o presidente dos EUA Barack Obama.

1. Síria

Em nossa opinião, deveríamos esperar os resultados das pesquisas realizadas pela comissão de inspetores da Organização das Nações Unidas. Até nos próprios Estados Unidos existem especialistas que apontam quantidade insuficiente de provas fornecidas pelo governo e não excluem a possibilidade de provocação planejada por parte da oposição para que os seus protetores dessem início a uma missão militar.

Pela legislação internacional vigente, a ordem que autoriza a interferência das forças armadas nos assuntos internos de um Estado soberano poderá ser dada apenas pelo Conselho de Segurança da ONU. Quaisquer outros motivos ou meios que justifiquem o uso de armas de fogo contra um país independente não poderão ser tolerados e deverão ser tratados como uma agressão.

Além disso, a ONU não limita as importações de armamentos para o território sírio. Ultimamente, temos fornecido uma parte do volume total de componentes dos mísseis S-300 encomendados pelo país, embora no momento o processo de exportação esteja suspenso. Se detectarmos alguma violação dos acordos internacionais, reanalisaremos a nossa posição, inclusive referente ao fornecimento de armas. No entanto, não pretendemos participar de nenhum conflito.

2. G20

Os principais assuntos a serem discutidos na reunião de cúpula do G20 incluem os problemas econômicos mundiais, redução da taxa de desemprego, combate à corrupção e crimes fiscais. Elaboramos uma agenda chamada de “Plano de São Petersburgo”, destinada ao desenvolvimento econômico mundial e à criação de novos empregos. Fizemos um acordo em relação a vários assuntos, tais como combate à corrupção e paraísos fiscais.

3. Barack Obama

Gostaria de convidar o presidente americano Barack Obama para uma reunião em Moscou, para que possamos discutir os problemas existentes, assim como espero que tenhamos uma oportunidade de conversar durante a cúpula. Vale ressaltar que as nossas reuniões anteriores foram muito produtivas, portanto, acredito que os encontros ao longo do evento também trarão bons resultados. Os assuntos que precisamos discutir incluem desarmamento, desenvolvimento econômico mundial, questões ligadas ao Irã e combate ao terrorismo. A nossa agenda de colaboração permanece em vigor, e tudo indica que ela tem um grande potencial para o desenvolvimento futuro.

4. Eleições

A organização de eleições honestas é uma obrigação dos órgãos do poder público, assim como uma questão de honra para os funcionários locais, cartórios eleitorais e forças policiais. A população tem o direito de escolher os candidatos que formarão os futuros órgãos do poder para que os mesmos sejam eficientes e aptos a exercer sua função. Caso contrário, o país inteiro será prejudicado; disso não há nenhuma dúvida.

5. Tribunais

De acordo com a Constituição, os tribunais russos são órgãos independentes. Porém, como em qualquer lugar do mundo, nada impede que juízes desonestos consultem as partes interessadas antes de tomar as decisões nos respectivos casos. Da mesma forma, se um juiz tem uma postura correta, ninguém poderá influenciá-lo.

6. Snowden

Nós não estamos protegendo Snowden, apenas não temos nenhum tratado de extradição bilateral com os Estados Unidos, pois todas as nossas iniciativas anteriores de assiná-lo foram recusadas. Espero que no futuro consigamos chegar a um acordo com os nossos pares americanos. O serviço secreto dos Estados Unidos considera Snowden um traidor, enquanto o seu principal objetivo é defender os direitos humanos, portanto, não temos nenhuma intenção de utilizá-lo como fonte de informação.

7. LGBT

A legislação russa não prevê nenhuma sanção contra os LGBT. No entanto, recentemente foi aprovada uma lei que proíbe a propaganda gay entre menores de idade. Os políticos que elaboraram e aprovaram essa lei consideram a incapacidade dos casais do mesmo sexo de gerar filhos, o que prejudicaria ainda mais a situação demográfica do país. Estou aberto a um diálogo com os representantes da comunidade LGBT, mas até agora nenhum deles me procurou.

8. Olimpíadas

Investimos um grande volume de recursos financeiros na preparação da Olímpiada de Inverno em Sôtchi, em 2014, mas esses valores não superam os gastos de outros países com estádios e outras instalações dos Jogos Olímpicos. O orçamento de Sôtchi-2014 é estimado em 214 bilhões de rublos [cerca de US$ 6,5 bilhões], dos quais 100 bilhões são dinheiro público e os restante será fornecido por investidores privados. Além disso, tomamos a decisão de fazer investimentos ainda maiores na infraestrutura da região do sul do país, com o objetivo de oferecer as melhores condições para os seus moradores e atrair turistas.

9. Caso Naválni

Não conheço todos os detalhes do caso, mas estou ciente de que ele foi condenado pela justiça. O verdadeiro motivo desse acontecimento não possui nenhuma ligação com suas crenças políticas contrárias ao regime atual, no entanto, as suas ações anteriores merecem uma atenção dos órgãos de justiça e de polícia. Acredito que os ativistas que escolherem combater a corrupção deverão evitar qualquer envolvimento no mesmo tipo de crime. 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.