Kremlin cria museu virtual com presentes oferecidos aos líderes do país

Pútin abraça cão presenteado pelo primeiro-ministro búlgaro Boyko Borisov Foto: Reuters / Vostock Photo

Pútin abraça cão presenteado pelo primeiro-ministro búlgaro Boyko Borisov Foto: Reuters / Vostock Photo

Acervo on-line permitirá acessar descrição detalhada dos objetos, além de visualizá-los em 360 graus.

O Departamento de Patrimônio da Presidência russa abriu uma licitação para o desenvolvimento de um acervo eletrônico de presentes oferecidos à liderança russa em diferentes épocas, entre os quais relógios suíços, um  crocodilo de cristal e um monte de presentes inusitados como frascos de geleia e um elefante de verdade. O desenvolvimento do acervo custará cerca de R$ 540 mil.

Serão duas seções: na primeira, serão colocados os presentes oferecidos aos dirigentes do país; já na segunda, os oferecidos a líderes estrangeiros pela liderança russa.

Cada presente terá uma ficha cadastral contendo suas dimensões, peso e valor, assim como a data e as circunstâncias em que foi recebida. As imagens dos presentes terão uma descrição detalhada e será possível girar o objeto para observá-lo por inteiro.

Na fase inicial, o acervo só estará acessível aos funcionários do Gabinete da Presidência. Porém, no futuro estará disponível em um site universalmente acessível.

Pelo regulamento vigente, todos os presentes oferecidos ao presidente do país durante seu mandado presidencial são de propriedade do Estado. Doações feitas por particulares são examinadas pelo Serviço Federal de Segurança Pessoal de Altas Personalidades (FSO, na sigla em russo) e inventariadas.

Os presentes e doações são guardados na Biblioteca do Kremlin e em um depósito especial no Kremlin. Por lei, o presidente só pode ficar com um presente de valor não superior a cinco vezes o salário mínimo nacional (menos de mil dólares). Se o presidente deseja levar um presente mais caro, deve pagar a diferença do seu bolso. 

De animais a nome de rua

O presente mais famoso a Pútin, o cão labrador Koni, foi dado por Serguêi Choigu, na época em que era ministro para as Situações de Emergência. Pútin foi presenteado também com uma cabra (pelo ex-prefeito de Moscou, Iúri Lujkov), um filhote de elefante (o rei do Butão), um cavalo árabe (emir de Abu Dhabi) e uma gazela-persa (presidente do Cazaquistão, Nursultan Nazarbaev).

O bilionário americano Robert Kraft deu a Pútin um anel de prata com diamantes distribuído entre os vencedores do campeonato de futebol americano, enquanto o ex-treinador da seleção russa de futebol, Gueórgui Iartsev, com uma chuteira de ouro.

Entre os presentes há muitos quadros, atualmente guardados nos museus do Kremlin. Um deles, chamado “Borboletas” e executado com pedras miúdas coloridas, foi oferecido pelo ex-presidente da China, Jiang Zemin, e se encontra na Biblioteca do Kremlin.

No seu aniversário de 58 anos, Pútin ganhou de presente de alunas da Faculdade de Jornalismo da Universidade Lomonossov de Moscou um calendário erótico com suas fotos seminuas.

Além disso tudo, o presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas, batizou uma rua da cidade de Belém com o nome de Vladímir Pútin. 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.