Berezóvski devia US$ 151 milhões em impostos na Inglaterra

Berezóvski se exilou na Inglaterra para não ser obrigado a ceder seus bens durante o primeiro mandato de Pútin. No Brasil, ficou conhecido por suposta ligação ao Corinthians Foto: Kommersant

Berezóvski se exilou na Inglaterra para não ser obrigado a ceder seus bens durante o primeiro mandato de Pútin. No Brasil, ficou conhecido por suposta ligação ao Corinthians Foto: Kommersant

Jornais britânicos garantem que empresário russo exilado no Reino Unido estava falido na época de sua morte.

O oligarca russo Boris Berezóvski, que morreu na Inglaterra em março passado, devia 100 milhões de libras esterlinas (151 milhões de dólares) para Receita e Alfândegas de Sua Majestade (HMRC), informou a imprensa local na semana passada.

Grant Thornton, que ficou responsável por fazer uma auditoria dos bens de Berezóvski, disse ao tribunal que os bens deixados pelo empresário falecido não são suficientes para pagar suas dívidas.

Uma fonte no círculo de juristas do Reino Unido disse à agência Itar-Tass que Berezóvski já estava falido quando morreu. Além disso, ele corria o risco de ser condenado à prisão por inadimplência fiscal.

Berezovski, que tinha 67 anos, foi encontrado morto por um funcionário na sua casa em Ascot. O corpo estava estirado no chão do banheiro trancado por dentro. Após a autópsia, a polícia disse que sua morte apontava “enforcamento” e não havia sinais de luta.

 

Publicado originalmente pela ITAR-TASS

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.