Candidato à prefeitura de Moscou, Naválni é condenado a cinco anos

A condenação significa que Naválni, cuja candidatura foi registrada nesta quarta-feira, não poderá mais concorrer ao cargo público Foto: AFP / East News

A condenação significa que Naválni, cuja candidatura foi registrada nesta quarta-feira, não poderá mais concorrer ao cargo público Foto: AFP / East News

Conhecido blogueiro da oposição recebeu sentença por desvio de verba em madeireira, mas alega que processo tem motivações políticas. Naválni, que havia registrado sua candidatura nesta quarta-feira, ficará de fora da corrida ao cargo de prefeito da capital.

O líder da oposição e candidato ao cargo de prefeito da capital Aleksêi Naválni foi condenado a cinco anos de prisão nesta quinta-feira (18) à tarde, depois de o juiz Serguêi Blinov considerá-lo culpado por apropriação indébita. Piotr Ofitserov, cúmplice no caso, foi condenado a quatro anos.

“Tudo bem. Não fiquem aborrecidos sem mim. E, mais importante, não fiquem aí sentados sem fazer nada? , escreveu Naválni em seu Twitter, após receber sentença. Ofitserov foi visto abraçando sua esposa, depois da leitura da sentença. Ambos foram também multados em 1 milhão de rublos (cerca de US$ 30.815).

Naválni e Ofitserov foram considerados culpados por um desvio de madeira serrada no valor de US$ 500 mil da madeireira estatal Kirovles em 2009. O crime teria ocorrido por meio de uma empresa de consultoria criada por Ofitserov e Naválni, que na época era assessor do governador de Kirov, Nikita Belikh.

“Na medida do possível estávamos preparados para isso”, disse a mulher de Naválni, Iúlia, citada pela agência RIA Nóvosti.

A defesa prometeu recorrer da sentença. “Se for necessário, e se não formos ouvidos pela justiça russa, iremos para o Tribunal Europeu [de Direitos Humanos]”, acrescentou a advogada Olga Mikhailova à RIA Nóvosti.

A condenação também significa que Naválni, cuja candidatura foi registrada nesta quarta-feira, não poderá mais concorrer ao cargo público, conforme reza a legislação russa. “Mas ele não pode ser formalmente excluído da corrida até que a decisão entre em vigor”, disse uma fonte da Comissão Eleitoral de Moscou.

Ainda assim, a decisão preliminar de que Naválni estava deixando a disputa para prefeito foi anunciada logo após o veredito por Leonid Volkov, chefe da equipe de campanha de Naválni. 

O blogueiro da oposição surgiu como um dos líderes dos protestos de 2011, contra o retorno de Vladímir Pútin para um terceiro mandato presidencial. Em seu blog, Naválni denunciava a corrupção e o desvio de verbas em empresas estatais, e lançou uma campanha contra o partido governista Rússia Unida, o qual ele chamou de um “partido de bandidos e ladrões”.

Naválni negou a culpa no caso da madeireira, alegando que o processo tem motivações políticas. Porém, o tribunal decidiu que as alegações da defesa de que o julgamento era motivado por questões políticas não tinha fundamento.

Mais de 8.500 pessoas já confirmaram pelo Facebook a participação em um encontro não autorizado para discutir o veredito de Naválni. A reunião dos opositores acontecerá na praça Manej, em Moscou,  às 19h00 desta quinta-feira. As autoridades de Moscou disseram que não vão permitir a reunião, e a área está sendo cercada.

 


Publicado originalmente pelo The Moscow News 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.