Ativistas da oposição podem pegar até 10 anos de prisão

Em prisão domiciliar, Udaltsov continua negando envolvimento com líder georgiano Foto: Vostock Photo

Em prisão domiciliar, Udaltsov continua negando envolvimento com líder georgiano Foto: Vostock Photo

Acusação contra os ativistas da oposição Serguêi Udaltsov e Leonid Razvozjaev foi formalizada nesta semana.

Na última terça-feira (19), os ativistas Serguêi Udaltsov e Leonid Razvozjaev, do Frente de Esquerda, foram formalmente  acusados pelo Comitê de Investigação da Rússia (CIR) de organizar distúrbios na praça Bolotnaia, em Moscou, em maio do ano passado.

Entretanto, a advogada de Serguêi Udaltrsov, Violeta Vólkova, adiantou ao Gazeta.ru que os documentos que lhe foram apresentados para análise contém fórmulas vagas e não citam ações exatas cometidas pelo oposicionista.

O anúncio do processo também não foi novidade para os advogados dos ativistas, que disseram aguardar por novas acusações desde janeiro passado. Na época, soube-se que o processo sobre os distúrbios na praça Bolotnaia e o de Anatomia do Protesto, instaurado após a exibição do filme homônimo pelo canal NTV, seriam unidos em um só caso.

O filme conta que Udaltsov, Razvozjaev e Konstantin Lebedev teriam se reunido diversas vezes com o político georgiano Guivi Targamadze para angariar fundos destinados à organização dos protestos.

Na sequencia da exibição de “Anatomia do Protesto”, Razvozjaev e Lebedev foram presos, enquanto Udaltsov foi colocado em prisão domiciliar.

Lebedev fez um acordo com a investigação e confessou ter se encontrado com Targamadze juntamente com Udaltsov e Razvozjaev. No dia 25 de abril, o Tribunal de Moscou condenou Lebedev a dois anos e meio de prisão, porém, Udaltsov continua não reconhecendo sua culpa.

Se forem condenados, Udaltsov e Razvozjaev poderão pegar até 10 anos de prisão. 

 

Publicado originalmente pela Gazeta.Ru

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.