Naválni é a aposta da oposição para a prefeitura de Moscou

Segundo o ex-deputado do partido Rússia Justa e membro do KSO Guennâdi Gudkov, Naválni tem as melhores perspectivas eleitorais em Moscou Foto: Reuters

Segundo o ex-deputado do partido Rússia Justa e membro do KSO Guennâdi Gudkov, Naválni tem as melhores perspectivas eleitorais em Moscou Foto: Reuters

O revolucionário Serguêi Udaltsov foi reconhecido politicamente pouco atraente para a maioria dos eleitores; o oposicionista e blogueiro Aleksêi Naválni ganhou força.

No último sábado (15), os membros do Conselho de Coordenação da Oposição (KSO, na sigla em russo) realizaram uma reunião para escolher o candidato da oposição para as eleições de prefeito da capital russa. Os opositores tomaram a decisão de criar uma plataforma política para poder participar da eleição.

O KSO não é um partido político e não pode nomear candidatos para eleições. No entanto, o conselho pode apoiar candidatos com recursos financeiros, administrativos e humanos.

Durante a reunião, os membros do conselho decidiram concentrar seu apoio num dos mais carismáticos militantes da oposição russa, Aleksêi Naválni. De acordo com o KSO, o segundo líder dos protestos contra o governo, o coordenador do partido Frente de Esquerda, Serguêi Udaltsov, não tem chances de ganhar as eleições.

De acordo com o jornalista Oleg Káchin, que também é o membro do KSO, Naválni é o único político verdadeiro na oposição russa que pode representar o Conselho de Coordenação.

“É uma provocação comparar Naválni com Udaltsov ou com líder do partido Iábloko Serguêi Mitrókhin”, disse Káchin.

Segundo o ex-deputado do partido Rússia Justa e membro do KSO Guennâdi Gudkov, Naválni tem as melhores perspectivas eleitorais em Moscou.

“O capital russo não é comunista, Udaltsov não é tão popular aqui”, diz Gudkov.

O líder da ala nacionalista do KSO, Nikolai Bondarik, diz que Udaltsov não pode representar todos os oposicionistas porque ele é um comunista radical e Naválni também não pode se tornar o líder porque está sendo julgado sob a acusação de fraude e desvio de US$ 510 mil da madeireira estatal Kirovles.

"A acusação e o opositor se acusam mutuamente de politizar o processo judicial", diz Bondarik.

“Se Udaltsov tivesse possibilidades eleitorais, eu o apoiaria. Ele pelo menos ele é um lutador, enquanto a orientação política de Naválni é pouco clara”, completa.

O vice-diretor do Centro de Tecnologias Políticas, Aleksei Makárkin, afirma que a oposição está destruindo o conselho e perdendo tempo com discussões de questões sem importância. De acordo com Makárkin, nem Udaltsov, nem Naváni poderão participar das eleições porque não passarão no filtro municipal.

“Essas disputas vão só destruir uma oposição mal consolidada", diz Makárkin.

Em 4 de junho, o prefeito de Moscou, Serguêi Sobiánin, anunciou sua intenção de se demitir do cargo antes do final do mandato. Foram anunciadas eleições antecipadas, que estão marcadas para setembro.

 

Com informações informações do jornal “Izvéstia

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.