Rússia ainda espera confirmação da morte de Berezóvski

Berezóvski se autoexilou na Inglaterra após ser envolvido em escândalos de corrupção Foto: Rex Features / Ben Cawthra

Berezóvski se autoexilou na Inglaterra após ser envolvido em escândalos de corrupção Foto: Rex Features / Ben Cawthra

Falta de confirmação oficial levanta suspeita de magnata esteja em um programa de proteção a testemunhas.

A morte súbita de Boris Berezóvski em março chocou a população russa, mas os boatos que rolam é que o magnata exilado, responsável por trazer Vladímir Pútin ao poder, ainda pode estar vivo.

“Até hoje, ainda não temos a confirmação documentada da morte de Berezóvski”, disse uma fonte do Serviço de Investigação Federal citada pela agência RIA Nóvosti.

A agência disse anteriormente que correm várias decisões judiciais contra Berezóvski, pelas quais o empresário deveria pagar um total de 3,3 bilhões de rublos – era justamente por isso que ele estava assistindo à evolução dos casos de sua casa no Reino Unido, onde a morte de Berezóvski ainda está sendo investigada.

O oligarca autoexilado de 67 anos foi encontrado morto no banheiro de sua casa em Ascot, no sul da Inglaterra, em 23 de março. As autoridades britânicas ainda não anunciaram oficialmente a causa da morte, mas exames sugeriram enforcamento.

Berezóvski foi enterrado  no mês de maio em uma cerimônia privada, na qual os jornalistas não tiveram acesso autorizado, e a data e local foram mantidos em segredo. Testemunhas disseram à RIA Nóvosti que o caixão permaneceu fechado durante o funeral.

No início deste mês, o jornalista de TV russo Andrei Karaulov especulou que Berezóvski pode ter sido colocado em um programa de proteção a testemunhas, de modo que sua morte teria sido forjada.

 

Publicado originalmente pelo The Moscow News

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.