Projeto prevê aulas de “comportamento anticorrupção” para autoridades

Legisladores consideram emenda que obriga autoridades estatais a passar por um detector de mentiras Foto: Getty_Images

Legisladores consideram emenda que obriga autoridades estatais a passar por um detector de mentiras Foto: Getty_Images

Parlamentar defende que medida vai contribuir para nomear gestores públicos por suas qualidades, e não por favoritismo.

Aulas especiais sobre “comportamento anticorrupção” devem ser introduzidas nos estabelecimentos de ensino superior que treinam futuros funcionários estaduais e municipais, informou Irina Iarovaia, chefe do Comitê de Segurança e Combate à Corrupção na Duma de Estado (câmara baixa do parlamento russo).

“Nosso sistema de educação, particularmente nos programas de ensino voltados para gestão estatal, precisa atualmente de aulas de conduta anticorrupção”, disse Iarovaia à agência de notícias RIA Nóvosti.

Segundo a parlamentar, é importante manter a seleção competitiva na hora de realizar a contratação para funções do Estado de modo que esses funcionários sejam apontados com base “não no favoritismo, mas em seu alto nível de competência e características pessoais”.

O jornal “Izvéstia” publicou nesta segunda-feira (27) que os legisladores da Duma de Estado estão preparando uma lista de alterações à atual legislação de combate à corrupção. Uma das emendas obrigaria as autoridades estatais a fazer um teste em um detector de mentiras.

O Kremlin lançou uma elogiada campanha anticorrupção no ano passado, na qual prometeu limitar o direito dos legisladores e funcionários do Estado de possuir bens próprios no exterior. Além disso, afastou vários legisladores sob alegação de atividade ilegal e implicou o então ministro da Defesa, Anatóli Serdiukov, em um grande caso de corrupção.

A ONG Transparência Internacional estima que a corrupção tenha desviado em torno de US$ 300 bilhões dos cofres públicos na Rússia em 2012, colocando o país em 133º lugar na lista das 174 nações analisadas em seu índice de corrupção.

 

Publicado originalmente pela RIA Nóvosti

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.