Tête-à-tête com “Dimon”

Em entrevista ao jornal “Komsomolskai Pravda”, premiê Dmítri Medvedev falou sobre imigração e dificuldades para garantir o progresso do país Foto: ITAR-TASS

Em entrevista ao jornal “Komsomolskai Pravda”, premiê Dmítri Medvedev falou sobre imigração e dificuldades para garantir o progresso do país Foto: ITAR-TASS

Nomeado primeiro-ministro em 8 de maio de 2012, após ter cumprido o mandato presidencial de quatro anos, Dmítri Medvedev acaba de completar seu primeiro ano no novo cargo. Em entrevista ao jornal “Komsomolskai Pravda”, premiê Dmítri Medvedev falou sobre imigração e dificuldades para garantir o progresso do país. Confira abaixo a seleção da Gazeta Russa com os principais pontos dessa conversa intercalados com citações do próprio Medvedev.

1. O trabalho de premiê não é mais fácil do que o de presidente

Medvedev admitiu que seu primeiro ano como primeiro-ministro não foi fácil. “O governo é uma máquina que está em funcionamento durante as 24 horas, processando e emitindo um monte de documentos normativos, gerindo a economia e resolvendo os problemas diários do país.”

2. Ameaça de recessão existe, mas as chances de evitá-la também

Segundo Medvedev, mais cedo ou mais tarde, qualquer economia entra em recessão. “Tenho certeza que conseguiremos evitar uma crise semelhante à .de 2008 e 2009. Portanto, não há necessidade de a população fazer estoques de carne enlatada, sabonete, fósforos e sal! Mas o fato de estarmos em uma conjuntura internacional muito difícil não deixa nenhuma dúvida.”

3. Governo criou programa para dar apoio aos jovens cientistas

“Temos prontos instrumentos reais de apoio aos jovens cientistas, entre os quais vultosas bolsas de investigação. Também devemos criar um sistema especial de empréstimos imobiliários para eles. O mesmo deve ser feito em relação aos jovens engenheiros.”

4. Estado vai cortar as despesas das instituições públicas 

“Cada instituição pública deve reduzir em 5% as compras de objetos destinados ao uso oficial ou à prestação de serviços públicos. Em nível nacional, a economia será de bilhões de rublos. Esse é um dos elementos da política de austeridade econômica.”

5. Mudança para o horário de inverno continua indefinida

Medvedev‎ tem receio de que a metade da população do país seja contra a mudança para o horário de inverno. “A questão não está encerrada, mas não podemos mudar inúmeras vezes o horário. Os estudos mostram que cerca de 50% da população é a favor do esquema anterior. No entanto, a outra metade da população defende o esquema atual.”

6. A Rússia não poderá se desenvolver sem imigrantes

O premiê reforçou a importância de criar um sistema de controle dos processos de imigração. “Há pouco tempo visitei o Serviço de Imigração da cidade de Nijni Novgorod e fiquei impressionado ao saber quantas pessoas de países desenvolvidos vêm trabalhar em nosso país. São centenas de milhares de pessoas da Alemanha, Holanda e Reino Unido. E não são turistas, todos vieram com visto de trabalho. Isso significa que nosso país é atrativo para as pessoas que ganham bem em seus países.”

7. País investe recursos de seus fundos soberanos no exterior com a intenção de diminuir os riscos

“Nosso país é muito dependente do petróleo e do gás. Por isso, tentamos investir o dinheiro obtido em instrumentos altamente confiáveis e bem protegidos, não sujeitos a grandes oscilações.”

8. Novas possibilidades com a adesão russa à OMC

“Entrar na OMC [Organização Mundial do Comércio] nos permite viver de acordo com as regras gerais. Como resultado, nossos produtos estarão futuramente de acordo com os critérios básicos adotados pelos países-membros do grupo e poderemos gerenciar seu preço de custo.”

9. Nenhum ministro será demitido

“O governo é uma equipe. Todos eles foram indicados por mim. Essa indicação foi aprovada pelo presidente, mas eu sou responsável por eles. Se eu achar que um ministro trabalha bem, vou certamente defendê-lo.”

10. Eventuais demissões devido à proibição de servidores públicos manterem bens no exterior

“Se você mora na Rússia e faz parte do governo, deve assumir a responsabilidade por sua situação econômica, sabendo que seu dinheiro é completamente dependente da maneira como você governa o país.”

11. Medvedev não fica ofendido por ser chamado de “Dimon” na internet

Dimon é o diminutivo de Dmítri. “Em muitos países, é comum tratar os ministros, primeiro-ministro e presidente pelo nome. Talvez, durante as atividades cerimoniais, outras formas de tratamento sejam usadas, mas, em princípio, qualquer pessoa pode tratar as autoridades pelo nome. E a Rússia tem suas próprias tradições".

12. Filho de Medvedev estuda desde 2012 na Faculdade de Direito Internacional do Instituto de Relações Internacionais (MGIMO, na sigla em russo) e se sente “rapaz normal”

“Por razões óbvias, os filhos dos líderes de países enfrentam certas dificuldades. Mas, para mim, era muito importante que meu filho se sentisse como um rapaz normal. Ele é um aluno universitário comum.”

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.