FSB troca carteiras de identificação de seus agentes

Circulação de carteiras falsas é especialmente preocupante em Moscou e no Cáucaso do Norte Foto: Beznosov Mikhail / PhotoXPress

Circulação de carteiras falsas é especialmente preocupante em Moscou e no Cáucaso do Norte Foto: Beznosov Mikhail / PhotoXPress

Os novos documentos de identificação dos funcionários do Serviço Federal de Segurança são mais difíceis de falsificar ou adulterar, já que os dados pessoais do titular são impressos em um papel especial com linhas impossíveis de reproduzir de forma artesanal. Iniciativa do FSB visa coibir a circulação de identidades falsas no país.

De acordo com o FSB (Serviço Federal de Segurança), o número de documentos de oficiais da segurança e defesa da Rússia falsos produzidos nos últimos três anos atingiu cerca de 10 mil só em Moscou. Aproximadamente 80% das carteiras falsificadas são documentos da FSB e da Procuradoria.

O departamento de segurança interna do FSB e a Polícia de Trânsito têm realizado regularmente operações conjuntas com a intenção de identificar e apreender documentos de identificação falsos ou adulterados.  Em 2010, uma operação policial desmanchou uma quadrilha de emissão de carteiras falsas chefiado por um tchetcheno, fechando, assim, um grande canal de fornecimento de identidades falsas às regiões sul do país, onde iam parar nas mãos de grupos armados ilegais.

Naquele mesmo ano, a polícia moscovita havia registrado a falsificação de 5 mil a 6 mil carteiras de funcionários da Procuradoria, FSB, Comitê de Investigação e outras entidades. “Em 2012, o número de falsificações diminuiu para cerca de mil por ano, e agora não ultrapassa algumas centenas. No total, ao longo dos últimos três anos, foram fabricadas cerca de 10 mil carteiras falsas”, disse uma fonte da polícia.

No início de 2012, o FSB também ensinou cerca de 7 mil agentes da Polícia de Trânsito de Moscou a reconhecer falsificações. Durante a primeira operação conjunta, foram apreendidas mais de 60 carteiras de identificação e mais de 150 licenças de passagem para automóveis falsas, contendo símbolos e nomes de diversas estruturas de segurança e defesa. A maioria das carteiras apreendidas foi emitida por estruturas não existentes, como Ministério dos Assuntos Externos ou Agência Federal de Ordem Pública.

No entanto, entre as carteiras de entidades fantasma há documentos emitidos por entidades legais como comitês ou uniões de veteranos de toda a espécie, supostamente vinculados aos serviços secretos. Oficialmente registradas, tais entidades não têm nenhuma relação com serviços secretos, mas são criadas com o objetivo de emitir carteiras de identificação que, embora sem validade, têm efeito psicológico junto à polícia.

Esses documentos são vendidos a partir de cerca de 15 mil rublos (cerca de US$ 500), enquanto uma carteira falsa de funcionário do FSB, Ministério do Interior, Comitê de Investigação ou Procuradoria custa a partir de 100 mil rublos (mais de US$ 3 mil).

De acordo com o Código Penal da Rússia, o portador de carteira de identidade falsa pode ser condenado a até seis meses de prisão.

 

Publicado originalmente pelo Izvéstia 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.