Rússia começa a destruir armas químicas complexas

Foto: mil.ru

Foto: mil.ru

Com uso de tecnologia nacional, russos pretendem eliminar seu arsenal químico até 2015.

A Rússia começou a destruição de suas armas químicas complexas que também contêm explosivos e estilhaços de projéteis, declarou o diretor do Serviço Federal para o Armazenamento Seguro e Destruição de Armas Químicas, Váleri Kapachin.

Para a destruição de armas químicas está sendo utilizada uma tecnologia de segurança desenvolvida no próprio país.

A fábrica de Leonídovka, na região do Volga, foi recentemente colocada em atividade para eliminar munições de composição complexa. “Falta iniciar as operações na República de Udmúrtia, a segunda linha na fábrica de Schutchie,  na região de Kurgan, e outra na região de Kirov”, acrescentou Kapachin.

Até o momento, a Rússia destruiu todos os agentes tóxicos armazenados em recipientes (gás mostarda e lewisite) e segue em frente eliminado as munições que contêm sarin, soman e VX.

No total, foram destruídas mais de 28 mil toneladas de agentes tóxicos, equivalente a 70% do estoque de armas químicas na Rússia.

A Rússia, os EUA e outros 186 países concordaram em destruir suas armas químicas no âmbito da Convenção sobre a Proibição de Armas Químicas, que entrou em vigor em 1997. Pelos compromissos assumidos, a Rússia deverá acabar com todas as suas armas químicas até 2015.

 

Publicado originalmente pela agência RIA Nóvosti

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.