A importância do Cazaquistão no espaço pós-soviético

Ilustração: Konstantin Maler

Ilustração: Konstantin Maler

No final de agosto, o presidente da Rússia, Vladímir Pútin, declarou que os cazaques nunca tiveram um Estado e que foi o atual presidente, Nursultan Nazarbaiev, que o criou. A fala provocou muita polêmica no país, que é um aliado muito importante da Rússia.

As declarações de Vladímir Pútin sobre o Cazaquistão no Fórum da Juventude de Seliger, em 19 de agosto, desencadearam uma onda de declarações oficiais e publicações na imprensa dos dois países.

O presidente russo disse que "os cazaques nunca tiveram um Estado. Foi ele [o presidente Nursultan Nazarbaiev] que o criou”. Muitos cazaques, especialmente os patriotas e nacionalistas, ficaram ofendidos pelas palavras de Pútin e pomoveram várias ações de protesto virtual, como o flashmob nas redes sociais “Envie um Manual de História a Pútin”.

Um dia depois das declarações, muitos jornais cazaques e russos publicaram as palavras do presidente do Cazaquistão, Nursultan Nazarbaiev, sobre a possível saída da União Econômica da Eurásia (UEE).

Oficialmente, Astana é um dos aliados mais próximos de Moscou, um parceiro mais lógico no processo de integração no território pós-soviético. A importância do Cazaquistão para a Rússia aumentou imediatamente depois do início da crise na Ucrânia e da introdução das sanções pelos países ocidentais contra a Rússia.

O Cazaquistão e a Bielorrússia continuam a apoiar a Rússia no contexto de deterioração das relações com o Ocidente. Não é por acaso que os presidentes dos dois países tornaram-se importantes moderadores durante o encontro entre Vladímir Pútin e Petrô Porochenko em Minsk. Nessas circunstâncias, a perda do Cazaquistão como um aliado poderia ser um golpe muito doloroso para a Rússia.

É óbvio que as declarações de Nazarbaiev sobre uma possível saída do país da UEE nunca se tornarão realidade. Nazarbaiev é um político muito experiente, que dirige o Cazaquistão desde o final dos anos 80, e sente a opinião pública muito bem. Foi ele que não permitiu a criação de um órgão legislativo da UEE, cujas funções, na sua opinião, não teriam nada a ver com a integração econômica.

Além disso, o político é o fundador da UEE em seu formato atual, por isso a participação do país da união é uma questão da reputação.

Porque Pútin fez essas declarações?

É possível compreender a reação dos cazaques às declarações de Vladímir Pútin e as tentativas de azedar as relações entre os dois países. No entanto, não é claro porque o presidente fez essas declarações.

Por um lado, provavelmente, Pútin queria sublinhar o papel de Nazarbaiev no estabelecimento do Estado do Cazaquistão.

Por outro, as declarações são inadequadas em uma situação de confronto com os países ocidentais e provocaram uma forte reação, mesmo entre os cazaques que apoiam a cooperação com a Rússia e compartilham a posição de Moscou na crise ucraniana.

No entanto, os países continuam a trabalhar na criação da União Econômica da Eurásia. A Comissão Econômica da Eurásia realiza reuniões e preparações para a adesão da Armênia e do Quirguistão.

Em 2 de setembro, a câmara baixa do parlamento russo ratificou o acordo para a criação da UEE, o que significa que a partir de 1º de janeiro de 2015 o processo de integração entre  Rússia, Cazaquistão e Bielorrússia entrará em uma nova fase.

 

Stanislav Prítchin é pesquisador do Centro de Estudos dos Países da Ásia Central, Cáucaso e Região do Volga do Instituto de Estudos Orientais da Academia de Ciências da Rússia

 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.