As apostas de investimento na Rússia em 2013

Ilustração: Aleksêi Iórch

Ilustração: Aleksêi Iórch

Setores de consumo doméstico, por exemplo, continuarão a crescer em um ritmo mais rápido devido à concessão de crédito bancário, crescimento da renda, retardamento da inflação e um rublo forte.

Em que áreas da economia russa investir nos próximos seis meses e a longo prazo?

Na minha opinião, antes de mais nada, são os setores orientados para o crescimento de consumo doméstico e setores cujas atividades concentram-se na construção de infraestrutura.

Os primeiros continuarão a crescer em um ritmo mais rápido devido à concessão de crédito bancário, crescimento da renda, retardamento da inflação e um rublo forte.

Os outros continuarão a crescer pela necessidade de superar uma das principais barreiras (juntamente com o estabelecimento de um domínio da lei, liberalização econômica e política e redução da corrupção) no caminho de um crescimento econômico mais rápido, uma infraestrutura antiquada e inadequada.

O crédito para o consumidor teve um crescimento na Rússia de 40% em 2012, alcançando os valores máximos de pré-crise, em 2007. Mas, apesar disso, o tamanho da dívida das famílias russas permaneceu muito baixo —cerca de US$ 1.800 per capita– em comparação com os países do Leste Europeu, em torno de US$ 4.000, e de mais de US$ 30 mil nos países desenvolvidos.

A penetração de um produto bancário importante como a hipoteca, apesar do retorno ao crescimento rápido da época pré-crise, permanece muito baixa. A relação dos empréstimos  hipotecários na Rússia com relação ao PIB é de aproximadamente 3%. A título de comparação, na Turquia e no Brasil, o indicador é de 5%, e na Polônia e República Checa, 21%.

Se no total a economia russa puder crescer de 3% a 3,8% neste ano, alguns setores, com foco na demanda doméstica, poderão ter um acréscimo de 10% a 20%.

Estes setores, onde os investimentos em títulos produzirão a maior parte dos rendimentos nos próximos 6 a 12 meses, na minha opinião, incluem os de finanças, construção de habitações, transporte, de montadoras de automóveis e também o dos meios de comunicação e de telecomunicações.

Minhas principais recomendações são: Sberbank, VTB, Banco Vozrozhdenie, Grupo LSR, AvtoVAZ, Sollers, Severstal, Aeroflot, M.Video, MegaFon e Yandex.

Copa do Mundo

Falando sobre a melhoria da infraestrutura, é impossível não notar que a uma infraestrutura subdesenvolvida e bastante ultrapassada não só continua a reduzir a taxa de crescimento potencial da economia, mas francamente não corresponde à implementação dos compromissos internacionais assumidos, tais como, por exemplo, a organização da Copa do Mundo de futebol em 2018.

Minimizar a importância do evento não é razoável: nenhum dos 12 estádios foi construído e nenhum complexo viário ou fundo hoteleiro nas 11 cidades do campeonato cumpre os requisitos formais. O volume potencial de custos diretos para a execução da Copa é avaliado em 1,3 trilhões de rublos.

Um programa federal para o desenvolvimento das infraestruturas de transporte entre os anos de 2010 e 2015 envolve apenas os investimentos necessários para o transporte ferroviário, em um valor aproximado de 320 bilhões de rublos anuais.

Se falarmos sobre a rede de energia, um das mais problemáticas, somente no segmento de usinas geradoras, 62% têm mais de 30 anos de idade.

Os investimentos estimados para este segmento são de cerca de 3 trilhões de rublos para os próximos seis anos. (Imaginem quanta capacidade instalada adicional será exigida pelos novos estádios de futebol, aeroportos, estações de trem e a construção de hotéis para a Copa do Mundo).

Acredito que grande parte do investimento nesses projetos virá das maiores empresas internacionais, como General Electric, Siemens, Caterpillar, Komatsu, entre outras.

Minhas recomendações para uma participação mais eficaz deste crescimento, em termos de investimento, são através de ações de empresas como Mostotrest, NLMK, MMK, Grupo LSR, E. ON Russia e Globaltrans.

A análise de investimentos, em suma, é composta de três ítens básicos: uma análise de oportunidades, riscos e a conformidade dos dois primeiros fatores no valor atual do investimento.

A análise das empresas mencionadas acima fala sobre um potencial significativo de crescimento de seu valor nos próximos seis a 12 meses.

 

Mark Rubinstein é diretor do Departamento de Análise do IFC METROPOL

Publicado originalmente pelo Vedomosti

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.