Sal russo

Lago no sul do país é fonte inesgotável do produto, mas também funciona como resort onde turistas aproveitam as propriedades curativas da argila local

 

O Lago Baskuntchak, localizado na região federativa russa de Ástrakhan, é um dos lagos mais salgados do mundo, quase alcançando a salinidade do Mar Morto.O sal é extraído do lago desde o século 8 e enviado pela Rota da Seda tanto à Ásia, como à Europa. O lago aparece pela primeira vez em escritos em documentos do século 7, onde é descrito como um lugar “onde as pessoas extraem sal branco como gelo”.

Alguns pesquisadores afirmam que a palavra “Baskuntchak” significa “cabeça de cachorro” em diversas línguas turcomanas. Há uma lenda que conta sobre um cachorro que correu certa vez pelo lago raso.

Mulher olha o horizonte à beira do lago.

Com as pernas machucadas devido ao sal pontiagudo do fundo, o cachorro só conseguiu chegar ao meio do lago. Chuvas fortes cobriram o corpo do cachorro e o sal evitou sua decomposição. Por muito tempo, durante as tempestades, os habitantes locais observavam a cabeça do cachorro aparecendo sobre as ondas incansáveis.

De 1960 a 1963, o lago foi usado para estabelecer recordes de velocidade. Em um percurso de 20 quilômetros, 29 recordes de velocidade soviéticos (entre eles, 19 mundiais) foram batidos.

O lago está entre as maiores fontes de sal da Rússia, e provê 80% do sal de todo este imenso país. Para transportá-lo, foi construída uma estrada de ferro que liga Baskuntchak ao rio Volga.

Dizem que o Baskuntchak é inexaurível. Diferentemente de muitos outros depósitos de sal, o lago é alimentado por muitas fontes, que fornecem enormes reservas de sal.

A costa do lago é fonte de argila curativa. Durante as estações do verão e do outono, muitos turistas vão ao lago para nadar em suas águas, muito salgadas, e tomar banhos de lama.

A água do lago é muito densa, e por isso é impossível afundar nela. Não importa o quando você tente, a água sempre te empurrará para a superfície.

Você pode se deitar na superfície do lago como se estivesse em um sofá. Só tome cuidado para não deixar a água salgada entrar nos olhos.

Inúmeros tocos de madeira negros na costa do lago são sinais especiais para indicar onde o sal está se cristalizando. Você deve pisar com cuidado aqui. A superfície é bem sólida, mas se você começar a pular, pode cair na lama negra líquida localizada abaixo da camada de sal.

O deserto ao redor do lago e a área desarborizada fazem deste um local pouco admirado por amantes do frio. Simplesmente não há onde se esconder. Se você for ao Baskuntchak, prepare-se para o sal forte, o vento salgado e quente e nenhuma sombra.

 É importante levar de três a cinco litros de água fresca. Você certamente estará quente depois de 10 a 12 minutos sob o sol, mas pelo menos a água fresca evitará uma desidratação. Além disso, você precisará lavar-se do sal – apesar de haver banhos pagos no local.

Pisar no fundo do lago não é a experiência mais prazerosa, já que ela é coberta de um sal que irrita os pés. É por isso que muitos preferem navegar em barcos.

O sal aqui está em todo lugar! Algumas vezes parece que você está no meio de um campo coberto de neve... até o vento quente destruir essa ilusão!

Próximo ao lago Baskuntchak está a montanha Grande Bogdo. Única formação montanhosa na Depressão do Cáspio, ela é sagrada nas crenças dos habitantes locais. Eles dizem que a Bogdo foi consagrada pelo próprio Dalai Lama.

Autorizamos a reprodução de todos os nossos textos sob a condição de que se publique juntamente o link ativo para o original do Russia Beyond.