Dez monumentos a Aleksandr Púchkin

São Petersburgo (região de Leningrado): Púchkin é amado por todos os russos... e também pelas pombas de São Petersburgo.

São Petersburgo (região de Leningrado): Púchkin é amado por todos os russos... e também pelas pombas de São Petersburgo.

Peggy Lohse
Aleksandr Púchkin é um dos símbolos mais proeminentes da literatura russa. Embora o governo nunca tenha permitido que ele deixasse o Império Russo, o escritor era um viajante ávido e, portanto, não é surpresa que ele tenha visitado muitos lugares ao redor do país. Hoje, mesmo as cidades que nunca tiveram a honra de receber o ilustre poeta ainda prestam homenagem ao erguer monumentos e nomear ruas e praças.
Região de Tver: Púchkin viajava com frequência para a propriedade de Bernovo, que pertencia à família Wulf. Eles foram responsáveis pela educação de Anna Kern, a quem o poeta dedicou vários poemas.
Bakhtchisarai, Crimeia: Púchkin ao lado da Fonte de Lágrimas, que é tema de um de seus poemas publicado em 1824.
Mikhailovskoe, Puchkinskie Góri (região de Pskov): Até um ilustre poeta já foi uma criança.
Kemerovo: Não muito longe da Praça Púchkin, seu rosto até mesmo decora paredes de casas simples.
Krasnoiarsk (região de Krasnoiarsk): “Ainda me lembro do momento maravilhoso/Quando você apareceu diante dos meus olhos/ Como um breve presságio,/Puro fantasma de luz encantadora”, diz monumento com Aleksandr Púchkin e sua esposa Natália Gontcharova em Krasnoiarsk. Na verdade, porém, esses versos de Púchkin não foram dedicados a sua mulher (à esquerda).
Smolensk: Busto pensativo de Púchkin atrás das muralhas do Kremlin local.
Tomsk: Jovem Púchkin adorna cidade siberiana.
Tver: Púchkin caminha ao longo da margem do rio Volga.
Vladivostok: Um poema, um livro, literatura ou mesmo o amor. O que teria sobrecarregado a alma de Púchkin sob este funicular no Extremo Oriente da Rússia?