Forças russas prosseguem com desminagem em Aleppo

Os explosivos recuperados provêm de várias partes do mundo, incluindo EUA e Alemanha.

Os explosivos recuperados provêm de várias partes do mundo, incluindo EUA e Alemanha.

mil.ru
Operações incluem entrega de ajuda humanitária à população de cidade síria, libertada de rebeles em dezembro passado.
Após a libertação da cidade síria de Aleppo, no final de 2016, os sapadores russos continuam removendo armas, armadilhas e minas implantadas na região.
Mais de 1.000 hectares e 2.100 prédios locais já foram vasculhados.
Entre os edifícios que já passaram pelo processo de retirada de minas estão escolas, mesquitas, hospitais e outras estruturas civis.
Cerca de 14.700 dispositivos explosivos foram desativados, incluindo mais de 6.700 dispositivos explosivos improvisados.
O armamento descoberto em armazéns variava de granadas de mão a mísseis para lançamentos múltiplos.
As forças armadas russas também ajudam com entregas de ajuda humanitária e retomada de serviços públicos.
Rebeldes sírios capturaram o leste de Aleppo em 2012.
Militantes que se opõem ao governo sírio foram forçados a deixar a região após o exército de Damasco e seus aliados (incluindo a Rússia) conduzirem uma ofensiva bem-sucedida na cidade no segundo semestre de 2016.
Os combates se arrastaram até dezembro passado. Antes, Aleppo estava dividida em partes mantidas tanto pelo governo como rebeldes.