As bases do esquadrão de Pútin

Conheça os edifícios espalhados pela capital onde a política acontece.
Vladímir Pútin é, obviamente, o principal newsmaker da Rússia. Embora sua residência oficial seja o Senado do Kremlin, o presidente prefere realizar as reuniões oficiais em sua casa em Novo Ogarevo, que fica a 30 km a oeste de Moscou.
Ao contrário de Pútin, o primeiro-ministro Dmítri Medvedev viaja todos os dias da residência conhecida como Gorki-9, nos arredores de Moscou, ao centro da capital, uma vez que seu gabinete fica situado na chamada “Casa Branca russa”. Exemplar do construtivismo soviético, este edifício sofreu danos gravíssimos durante a crise constitucional de 1993, quando o então presidente Boris Iéltsin ordenou que seus adversários parlamentares fossem bombardeados a partir de tanques.
Hoje, o Parlamento da Rússia está localizado mais próximo do centro de Moscou. O edifício do Conselho da Federação (Senado russo) fica bem perto de áreas para pedestres (que, por sinal, estão sempre lotadas). Esta construção austera, que data do final da URSS, foi erguida no local do antigo teatro Roma. A atual presidente do Senado é Valentina Matvienko, que, dentre as mulheres do governo, é não só a mais experiente, como a que ocupa o mais alto escalão.
A Duma (câmara baixa do Parlamento russo) também está a poucos passos da Praça Vermelha e do Teatro Bolshoi. Por isso, se estiver em Moscou, é pouco provável que perca este edifício da época de Stálin, que, nos tempos soviéticos, sediou a Comissão de Planejamento Estatal (Gosplan). O porta-voz do recém-eleito corpo legislativo, Viatcheslav Volodin, é um dos principais confidentes de Pútin.
O Ministério dos Negócios Estrangeiros russo tem voz ativa na agenda global. Se quiser saber onde o chefe da pasta, Serguêi Lavrov, e seu pessoal trabalham, basta digitar no Google “skyline de Moscou”. Este arranha-céu estalinista na praça Smolenskaia é uma das lendárias Sete Irmãs.
Este indivíduo está na linha de frente do Kremlin e, para obter qualquer resposta do governo em relação aos acontecimentos atuais, basta procurá-lo: Dmítri Peskov. O porta-voz de Pútin fica instalado em um edifício do início do século 20 no bairro histórico de Kitai-Gorod.
Este importante edifício neoclássico na praça Lubianskaia, que data do final do século 19, abrigava inicialmente a filial moscovita da principal empresa de seguros do país, a Rossiya. No entanto, a fama internacional veio após a decisão dos bolcheviques de ali instalar o serviço de inteligência soviético. O FSB (Serviço Federal de Segurança), que sucedeu a KGB, ainda permanece na Lubianka, e seu chefe, Aleksandr Bortnikov, é conhecido como um dos principais tomadores de decisão do país.
Os russos são muito sensíveis à flutuação do rublo – não é à toa que as notícias do Banco Central e de sua presidente, Elvira Nabiullina, são sempre aguardadas segurando a respiração. A instituição fica na pitoresca região da rua Neglinnaia, em um edifício do final do século 19, bastante notável por seus baixos-relevos refinados.
O Comitê de Investigação da Rússia sempre figura nas grandes reportagens criminais. A instituição, presidida por Aleksandr Bastrikin, está situada em um prédio de aço e vidro no nordeste da capital.
O Tribunal Constitucional da Rússia é o único órgão governamental que não está localizado em Moscou. Desde 2007, ocupa uma das principais joias arquitetônicas de São Petersburgo – o Palácio do Senado e do Sínodo, projetado por Carlo Rossi. O presidente do tribunal é Valéri Zorkin, ex-adversário de Iéltsin.
Embora não faça parte da estrutura governamental, a Igreja Ortodoxa Russa tem importância significativa na política russa. A residência do patriarca Kirill, uma mansão do século 19 no sudoeste de Moscou, é um colírio para os olhos.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.