Tchekhov, Tolstói e gênios da literatura em cores e sons

Artista russa Olga Chirina, também conhecida como Klimbim, coloriu desta vez imagens de arquivo de escritores e poetas famosos. Para adicionar realismo, a Gazeta Russa acrescentou gravações de voz raras.
 

 

Anton Tchekhov, amado pelo público de todo o mundo por suas peças, autor de “O Jardim das Cerejeiras” e “Três irmãs”, e um verdadeiro mestre da pequena prosa.

“Na galáxia de grandes dramaturgos europeus contemporâneos de Ibsen, Tchekhov brilha como uma estrela de primeira grandeza, mesmo ao lado de Tolstói e Turguêniev”, escreveu George Bernard Shaw.

 

Anna Akhmatova é a poeta mulher mais conhecida da Rússia. Foi incapaz de socorrer as vítimas do terror de Stálin, dos expurgos, ou do cerco a Leningrado durante a Segunda Guerra Mundial, mas seus versos transparentes preservaram a sua memória e os salvaram de uma segunda morte na forma de esquecimento. “Réquiem” e “Poema sem um Herói” são obras dedicadas à memória dos falecidos.

Ouça 'O último poema' na voz de Anna Akmatova.

 

Osip Mandelstam, um dos maiores poetas russos da Idade de Prata, viveu e escreveu sem sucumbir à pressão de se conformar. Sua poesia valente e epigrama a Stálin lhe custaram a vida. Morreu como milhares de seus compatriotas oprimidos – de exaustão e insuficiência cardíaca em um campo de trabalho forçado na Sibéria.

Ouça Osip Mandelstam, 'Não, nunca fui contemporânea de ninguém'.

 

Lev Tolstói é um dos poucos escritores russos a desfrutar de grande popularidade com o público ocidental. Hoje, seus romances são muitas vezes adaptados às telonas, oferecendo a todos insights sobre “Guerra e Paz”, amor, vida e alma russa.

Ouça o conto de fadas 'O Lobo' narrado por Lev Tolstói.

 

Trabalhar como médico em uma aldeia remota proporcionou ao escritor Mikhail Bulgakov uma abundância de ideias que se transformaram em prosa, entra elas “O caderno de um jovem médico”. Décadas mais tarde, após sua morte, a sua obra-prima “O Mestre e Margarida” ganhou reconhecimento mundial e desde então, já foi traduzida para 75 idiomas.

 

Serguêi Essênin. “Minha Rússia, Rússia de madeira! Eu sou seu único cantor e arauto”. Com seu amor pela vida rural, o poeta russo Serguêi Esnin não aceitava os poemas revolucionários e industriais de seu compatriota Maiakôvski, e, em vez disso, dedicava sua poesia sobretudo ao amor pelas mulheres e pela pátria.

Ouça Serguêi Essênin, fragmento do poema 'Pugatchev'.

 

Maksim Górki. Politicamente ativo, esse escritor se tornou símbolo do idealismo socialista, mas a sua relação com as autoridades soviéticas foram se complicando. Seus trabalhos incluem romances, peças de teatro e autobiografias. “A Mãe” se tornou um marco da literatura soviética e é muitas vezes considerada a primeira obra do realismo socialista. Nesta foto, Górki aparece ao lado da esposa Ekaterina Pechkova. 

Ouça discurso de Górki no Primeiro Congresso de Escritores.

 

Espécie de James Dean do futurismo, Vladímir Maiakôvski foi o poeta mais importante da revolução e colocou seu coração e alma pela causa bolchevique. Seus trabalhos mais famosos são o poema “A Nuvem de Calças” e outros versos sobre amor, vida e realidade soviética.

Ouça fragmento de poema na voz de Maiakôvski.

 

Entre todos os músicos soviéticos, Vladímir Vissótski é um dos mais popular – se não o mais popular. E seu lugar na história e nos corações dos russos cresceu muito ao longo dos anos. Hoje, mais do que nunca, está marcado na memória de seus compatriotas como um grande poeta, autor de canções líricas, além de primoroso cantor e ator lembrado pela atuação revolucionária em “Hamlet”, de Shakespeare.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.