Noite de Ivan Kupala marca a entrada do verão na Rússia

Os camponeses acreditavam que, na noite de Ivan Kupala (a mais curta do ano), não se deve dormir, porque todos os espíritos malignos estão despertos – bruxas, lobisomens, sereias, cobras, feiticeiros e espíritos da floresta.

Os camponeses acreditavam que, na noite de Ivan Kupala (a mais curta do ano), não se deve dormir, porque todos os espíritos malignos estão despertos – bruxas, lobisomens, sereias, cobras, feiticeiros e espíritos da floresta.

Ekaterina Mamontova
Veja fotos tiradas durante celebração pagã realizada na semana passada em Kaluga.
Ivan Kupala é uma festa tradicional eslava. Atualmente na Rússia, há duas maneiras de celebrá-la: uma é realizada por grupos religiosos pagãos não oficiais, no final de junho, quando as noites são mais curtas, e a outra é mantida na noite do dia 6 para 7 de julho, conforme o calendário juliano. Esta última é, inclusive, sancionada pela Igreja Ortodoxa Russa.
Neste feriado, como as pessoas dizem, a água pode se tornar uma “amiga” do fogo, e esta união deve ser resultante de um poder natural.
A característica mais marcante da noite de Ivan Kupala é a presença da fogueira purificadora. Desde os tempos remotos, as pessoas costumam dançar em volta das fogueiras e saltar sobre elas: aquele que pular a labareda mais alta é considerado a pessoa mais feliz.
Em algumas regiões, as pessoas conduziam seu gado através desses fogaréus para protegê-lo de doenças. Mães também queimavam as roupas dos filhos doentes para, assim, afastar os males.
Ambos os solstícios de verão incluem inúmeros rituais eslavas de união do fogo com a água. A data é celebrada não só na Rússia, como também na Bielorrússia, Polônia, Lituânia, Letônia e Ucrânia, durante os dias do solstício de verão.
No universo das flores, a samambaia estava ligado a lendas sobre tesouros. Graças às flores da samambaia, que florescem por alguns instantes na meia-noite do Dia de Ivan Kupala, todos os tesouros poderiam ser vistos, não importa o quão profundamente estivessem enterrados.
Na Rússia pré-revolução, o Dia de Ivan Kupala era o feriado mais importante do ano, e praticamente todo mundo participava dessa festa. Eram também importante que cada pessoa fosse um participante ativo em todas as cerimônias e rituais.