Pouco mudou no interior russo em 100 anos, mostra arquivo fotográfico

Sergei Prokudin-Gorsky
Registros do fotógrafo russo Serguêi Prokúdin-Górski, feitos no início do século passado, são comparados a atuais. Veja, em fotos, como pouco mudou nas regiões mais remotas do país.

Serguêi Prokúdin-Górski era também químico, mas ficou mais conhecido pelo trabalho pioneiro com fotografia a cores.

Em 1901, abriu um estúdio de fotografia e laboratório em São Petersburgo. Poucos depois, com a benção do tsar Nikolai II, obteve permissão e financiamento para documentar a Rússia em cores.

Mas Prokúdin-Górski continuou suas viagens fotográficas através da Rússia mesmo após a Revolução de Outubro, em 1917. Ao longo de dez anos, conseguiu reunir uma coleção de mais de 10 mil fotos das mais variadas regiões do país.

Nos últimos anos, os admiradores do fotógrafo visitaram os mesmos lugares onde Prokúdin-Górski tirou fotos há mais de 100 anos. Nelas, montanhas, mosteiros, igrejas e rios em diferentes partes do país são comparados com os cliques originais.

As novas fotos demonstram, porém, que pouco mudou nas províncias russas ao longo do século passado. Cerca de 750 imagens foram agora publicadas como parte de um projeto de pesquisa internacional intitulada “O Legado de S. M. Prokúdin-Górski”. / Vista da cidade de Tobolsk.

Entrada do Mosteiro de Spásski, Riazan.

Kremlin de Rostov-Velíki.

Igreja de Santa Eufêmia no Mosteiro de Cirilo, Kirillov, região de Vologda.

Mosteiro de Uspenski, Staritsa, região de Tver.

Catedral da Assunção, Smolensk.

Mosteiro Inkerman de São Clemente, Crimeia.

Catedral de São Demétrio, Vladímir.

Mosteiro de Spásski, Riazan.

Vista da Igreja de São Boris e São Gleb, Staritsa, região de Tver.

Gostaria de receber as principais notícias sobre a Rússia no seu e-mail?  
Clique aqui para assinar nossa newsletter. 

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.