Pratos que valem “Curtir” no Instagram

Além de pratos deliciosos, @russianfoodieproject tem um gato como mascote

Além de pratos deliciosos, @russianfoodieproject tem um gato como mascote

@russianfoodieproject
Confira esta seleção de culinária russa e internacional, negócios que começaram no app e até uma bizarra coleção de pratos vazios.


Os chefs russos raramente se preocupam em manter atualizações constantes no Instagram. Mas também os entusiastas, como, por exemplo, Andrêi Rudkov, chef e viajante de Khabarovsk, no Extremo Oriente russo, cujas fotos de pratos suculentos já lhe renderam mais de 230 mil seguidores. As descrições são em russo, mas, mesmo para quem não entende a língua, a inspiração é o que importa.


O Instagram é tão popular na Rússia como no Brasil e em outras partes do mundo. Na difícil disputa por "curtidas" e seguidores, a regra subentendida de “postar apenas fotos tiradas com celular já foi há muito tempo esquecida. O app agora virou também palco de cliques encenados com câmeras profissionais e todos os tipos de truques de luz e efeitos especiais inventados por food stylists de primeira.


Os usuários do Instagram mais ativos no país são as jovens do sexo feminino. Muitos delas sabem e realmente amam cozinhar. Há dois tipos mais comuns: jovens mães que ficam em casa com as crianças e cozinham por entretenimento, e e mulheres adeptas de uma vida saudável, que se transformam em gurus online de comer bem sem ganhar peso, como evitar alergias, dicas de dieta e etc.


Ambos os grupos muitas vezes apresentam criações próprias. Depois de tudo pronto, as fotos compartilhadas podem se tornar virais, e os clientes começam a aparecer. Amigos que comentam com amigos, que falam com outros conhecidos e assim por diante, correndo o risco de o negócio de se tornar sério. Há muitos exemplos de negócios que começaram assim, e os boleiros costumam ser uns dos mais bem sucedidos.


Depois de uma olhada rápida nessas contas, revela-se, porém, uma triste verdade: os chefs que promovem a culinária russa são poucos e distantes entre si. Entre tantas fotos de bruschetta e pastrami, há muito pouco de trigo sarraceno. Aliás, para resgatar a cultura local, vale a pena acompanhar @russianfoodieproject, que, além de apresentar pratos deliciosos, posta fotos de um gato bem fofo.


Claro que nesta lista não poderia faltar a conta no Instagram do projeto internacional RBTH, do qual a Gazeta Russa faz parte: @rbth_table. Funciona mais como uma boneca matriochka - lá você pode, entre outras opções, deslizar os olhos por uma mesa de Ano Novo na Rússia, clicar sobre qualquer prato e, assim, acessar uma página dedicada a sua escolha, com descrição detalhada e receita.


Às vezes, a comida fica tão boa que nem dá tempo de tirar fotos antes - de repente você se depara com um prato vazio. O blogger e designer Tema Lebedev, bastante conhecido entre os russos, criou toda uma série com essa temática. Com, digamos, experiência no negócio, ele agora coleciona imagens de, sim, pratos vazios. As legendas sempre descrevem o que estava ali antes de ser devorado. No prato desta foto, por exemplo, havia zrazy de batata (como um bolinho) recheado com carne.

Tem algo a acrescentar ou gostaria de se aprofundar na culinária russa?

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.