Como a Sibéria se tornou um dos maiores pólos na pesquisa e construção aeronáutica? Veja fotos

Buran, o estabilizador vertical de espaçonaves. O SibNIA desenvolveu uma tecnologia que aquece e resfria a construção de acordo com a temperatura necessária. A cabine termal do Buran suporta até 1.200 graus Celsius positivos.

Buran, o estabilizador vertical de espaçonaves. O SibNIA desenvolveu uma tecnologia que aquece e resfria a construção de acordo com a temperatura necessária. A cabine termal do Buran suporta até 1.200 graus Celsius positivos.

Slava Stepanov / GELIO
Área abriga um enorme centro de pesquisas onde se desenvolveram componentes para aviões que foram divisores de água na história da aviação, como as aeronaves An-2, A-57, Su-26 e Su-27.

Localizado em Novosibirsk, o Instituto de Pesquisa Aeronáutica da Sibéria Chapligin (SibNIA) é o maior centro de pesquisas de aviação do leste da Rússia. Sua missão é conduzir pesquisas e experimentos nas áreas de aerodinâmica, resistência mecânica e aeronaves para voos de teste.
Os laboratórios do instituto desenvolveram componentes para aviões que são verdadeiros marcos, tais como as aeronaves An-2, A-57, Su-26 e Su-27. Eles também já testaram mais de 200 tipos diferentes de aviões, incluindo o jato supersônico comercial Tu-144, o ônibus espacial Buran, o Tu-204 e a série de aviões Su-27. Além disso, os laboratórios avaliaram dispositivos de pouso para mais de 250 aeronaves produzidas na Rússia.
Atualmente, o instituto está testando o modelo de quinta geração do avião T-50 e o avião de passageiros de curto e médio alcance MS-21.
Criação e desenvolvimento da aeronave regional SSJ-100 no laboratório. O Sukhoi Superjet 100 é um avião comercial russo de curto alcance desenvolvido pela empresa Sukhoi de Aviação Civil, em parceria com empresas estrangeiras.
Buran, o estabilizador vertical de espaçonaves. O SibNIA desenvolveu uma tecnologia que aquece e resfria a construção de acordo com a temperatura necessária. A cabine termal do Buran suporta até 1.200 graus Celsius positivos.
Testes de estrutura e resistência para construção de aeronaves em grande escala são conduzidos aqui. A seção tem 35 metros de altura. Os cabos dos deslocadores do teto suportam 100 toneladas por metro quadrado.
O SibNIA conduziu testes estruturais e de resistência para o Su-34, Su-35 e o Tu-204.
O Su-35 é um caça a jato de quarta geração para quaisquer condições climáticas.
Esta é a forma como as asas são testadas. O SibNIA executou com êxito muitos projetos. Os novos tempos exigem que a equipe do instituto lide com desafios visando ao aumento da velocidade, da altitude de voo e da segurança das aeronaves.
Uma das principais tarefas do instituto é criar um avião comercial que atenda às necessidades da sociedade moderna: baixo custo, economia de combustível, redução de ruído e funcionamento ecológico.

Todos os direitos reservados por Rossiyskaya Gazeta.

Mais reportagens e vídeos interessantes na nossa página no Facebook.

Este site utiliza cookies. Clique aqui para saber mais.

Aceitar cookies